Coordenadora do Sindilimp critica mudança do governo com terceirizados: “Desestabiliza mais”

Postado em set 14 2017 - 5:00pm por Jornal da Chapada
foto

A coordenadora-geral do Sindilimp, Ana Angélica Rabello | FOTO: Divulgação |

A mudança no regime de contratação dos trabalhadores terceirizados que prestam serviços administrativos na Secretaria Estadual de Educação foi contestada, nesta quinta-feira (14), pela coordenadora-geral do SindilimpBA, sindicato que representa os profissionais terceirizados do estado, Ana Angélica Rabello. De acordo com ela, o governo baiano está tirando os trabalhadores da empresa Creta para recontratá-los via Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). Ana explica que isso tem causado ainda mais instabilidade econômica e social dos profissionais e, consequentemente, de suas famílias.

“Essa empresa é uma das poucas que pagam em dia. Tudo que queríamos ela faz, dá assistência médica, transporte e tem atenção com o trabalhador. Aí a SEC está demitindo e colocando essas mesmas pessoas pelo Reda. Não dão nenhuma explicação sobre isso. Estão tirando os direitos dos trabalhadores e ninguém nos informa de nada. É um absurdo que isso ainda acontece, com consentimento de inúmeros órgãos fiscalizadores”, critica Ana Angélica.

A sindicalista aponta que o SindilimpBA já procurou o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Ministério Público Estadual (MPE), e a Procuradoria Geral do Estado (PGE), mas que nenhum destes órgãos soube explicar esta situação. “Não dizem nada, o sindicato procurou todas as esferas e ninguém responde o porquê de isso estar acontecendo. Lamentável, sempre estivemos abertos a negociações, nunca deixamos de participar das audiências”, completa.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.