Chapada: Retirada de casas em área do governo estadual revolta famílias em Iraquara; confira fotos e vídeos

Postado em nov 12 2017 - 9:34pm por Jornal da Chapada
capa

A ação de despejo segue até a terça-feira e as famílias que ocupavam a área já organizam manifestação para o próximo dia 19 de novembro | FOTO: Montagem do JC |

As mais de 1,8 mil famílias que sonhavam com a casa própria e um pedaço de terra para ter seu sustento tiveram os sonhos interrompidos por ação do governo estadual que derrubou as construções de área inativa da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), no município de Iraquara, na Chapada Diamantina. É o que afirmam as lideranças do Movimento dos Sem Teto (MSTS), em contato com o Jornal da Chapada, neste domingo (12). Conforme as informações, a “desapropriação, sem mandado judicial”, deve seguir até a próxima terça-feira (14) e “o ato reflete uma luta política pela área para servir de especulação imobiliária”. De acordo com o líder do MSTS, Mourival José de Souza, o terceiro dia de despejo foi de muita tristeza, lágrimas e escombros, mas que o grupo vai reagir.

“Infelizmente hoje é o terceiro dia de um despejo sem mandado judicial, certamente o maior do interior do estado baiano ou um dos maiores do comando da política baiana. Diz ir até terça-feira e nós vamos nos concentrar e preparar a reação desta injusta ação para o dia 19 de novembro, véspera do Dia da Consciência Negra [que homenageia Zumbi dos Palmares]. Os remanescentes de negros e índios da região da Chapada sofrem como na escravidão por um governo petista, talvez sem a ciência do governador [Rui Costa]. É lamentável, mas infelizmente na luta de classe, também tem o ‘Judas’ chamado Josias Gomes”, dispara o militante do MSTS. Ele se refere ao secretário estadual de Relação Institucionais (Serin) e deputado federal licenciado, que estaria por detrás da ação de despejo.

Fotos da desapropriação

Este slideshow necessita de JavaScript.

O estudante de Direito Gilmário acompanha o caso e reafirmou que se trata realmente de uma ação política. Ele descaracterizou a reintegração de posse, disse que “o bairro ‘Estadão de Iraquara’ estava pronto para as famílias morarem, mas foi demolido por ação arbitrária do governo estadual e de políticos da região”. Para ele a questão é para especulação de vendas de terrenos, uma reunião com lideranças de Iraquara com Josias Gomes teria selado a ordem de desapropriação. “Foi autoritarismo. E um governo que se propõe a cuidar do povo deveria ao menos ouvir as lideranças e resolver a questão de outra maneira. Mas mostraram que o coronelismo ainda reina em setores da máquina pública estadual”, completa.

Vídeo pós retirada de casas

Prefeito culpa governo
O prefeito de Iraquara, Edimário Novais (PSD), emitiu um áudio e um vídeo (de rede social) para a população dizendo que nunca entrou na justiça para reaver o terreno de fazenda inativa da EBDA. Novais era acusado de comandar a ação de despejo e foi interpelado pelas famílias e desmentiu o caso. Ele afirmou que a ação é de responsabilidade do governo de Rui Costa (PT). No áudio encaminhado ao Jornal da Chapada, o prefeito ainda diz que o governo do Estado tinha de olhar mais para a “classe pobre”.

“Eu não entrei em momento nenhum na Justiça [para fazer a retirada das pessoas que lotearam terreno do governo] porque o Estado, desde quando cheguei em Iraquara, há mais de 30 anos, que conheço esse terreno. Uma área muito grande e quase nenhum benefício. Nada mais justo do que o governo já tivesse feito um projeto de moradia para famílias carentes, que tanto tem no município de Iraquara. Digo isso porque vim de família pobre e sei as dificuldades que tem um cidadão de família sem ter onde morar”, salienta o gestor do PSD.

Jornal da Chapada

Mais imagens da desapropriação

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja vídeo

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

2 Comentários Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.