Jornal da Chapada

Chapada: MST debate Educação do Campo com especialistas em Boa Vista do Tupim

Durante o encontro foram discutidos temas como a experiência de lutas entre fazendeiros e trabalhadores rurais sem-terra no município na década de 90 | FOTO: Jornal da Chapada |

Entre os dias 31 de outubro e 1º de novembro, na sexta-feira e no sábado, aconteceu o oitavo Encontro de Educadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) da Chapada Diamantina. O evento foi realizado no Plenário Francisco R. de Oliveira, na Câmara de Vereadores do município de Boa Vista do Tupim, com o tema a “A Educação do Campo na Chapada Diamantina: Possibilidades e desafios nas Escolas do Campo”. De acordo com a coordenadora política do MST na região, Domingas Farias, “o objetivo do evento é formar educadores para aplicar com formação e melhor qualidade da educação nos assentamentos de reforma agrária nas comunidades rurais e nas escolas dos municípios que atendem alunos vindos das zonas rurais”. Domingas ainda destacou a importância da parceria do movimento com a prefeitura municipal de Boa Vista do Tupim para a realização do encontro.

A palestra sobre Educação do Campo foi realizada pela professora da Uneb, doutora Rosana Mara | FOTO: Jornal da Chapada |

A abertura do evento aconteceu às 8h com uma mística e a formação da mesa de trabalho foi composta pela secretária municipal de Educação, a professora e militante Claudionice Silva, a popular Shell, pela coordenadora do MST Domingas Farias dos Santos, pelo vereador Alexandro Barreto e pelo representante da EBDA, Evanildo Carlos Cunha. Durante o evento, foi registrado a ausência do prefeito municipal João Durval Passos Trabuco, o popular Gidu do PT, que estava convalescendo de uma cirurgia bucal. “Esse encontro é mais um desafio enfrentado pelo prefeito Gidu na implantação da Educação do Campo que visa atender as especificidades locais. Para isso, o município em nossa gestão já implantou a coordenação-geral da educação do campo e durante as jornadas pedagógicas de 2013 e 2014 criamos espaços específicos para a educação do campo com a realização de oficinas”, aponta a secretária municipal de Educação.

“Criamos também dois núcleos com duas direções para as escolas que ficam em áreas mais isoladas do município, além de contratarmos um coordenador específico para a Educação do Campo. Agora vamos partir para o grande desafio, que é a construção do Plano Municipal de Educação com base no Plano Nacional, prevendo as diretrizes curriculares da Educação do Campo”, ressalta Shell. Vale salientar que o auditório da Casa Legislativa lotou de professores que promovem a educação do campo tanto nos assentamentos quanto em escolas de vários municípios da Chapada, a exemplo de Wagner, Itaetê, Boa Vista do Tupim, Iramaia entre outros. A palestra de abertura do evento foi feita pela professora da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), Rosana Mara, que é doutora em Educação do Campo.

Na entrada do evento, o professor participante fazia a inscrição e ganhava um pasta, uma camisa e um garrafa para água, tudo personalizado | FOTO: Jornal da Chapada |

Demonstrando domínio sobre o tema, a palestrante deu uma verdadeira aula abordando assuntos como conjuntura atual da Educação do Campo, qualidade no ensino, a teoria sobre o assunto, conjuntura desse processo na Bahia e no Brasil nos últimos 10 anos, além de ressaltar o decreto nº 7.352/2010, que instituiu a Educação do Campo. A doutora Rosana Mara ainda citou programas e políticas públicas de educação conquistadas pelo país como Pronera, ProJovem Campo, ProCampo, PIBID Diversidade/CAPES. “Como luta social devemos a nomenclatura correta é Educação do Campo, que assume a dimensão da pressão coletiva por políticas públicas para a educação, sem perder de mão as políticas mais abrangentes, por exemplo, a Reforma Agrária”, diz Mara, citando Roseli Salete Caldart.

O evento foi organizado pelo setor de educação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Boa Vista do Tupim em parceria com a Escola Família Agrícola do município.

Jornal da Chapada

Pular para a barra de ferramentas