Jornal da Chapada

Trabalhadores terceirizados protestam e se acorrentam em frente à Câmara de Salvador

Os trabalhadores também ocuparam o plenário da Câmara e foram ouvidos pelos vereadores | FOTO: Montagem do JC/Divulgação |

Seguindo com as ações da campanha salarial, trabalhadores terceirizados do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Urbana da Bahia (Sindilimp-BA) se acorrentaram, nesta segunda-feira (3), ao prédio da Câmara de Vereadores de Salvador, em protesto contra o ‘reajuste 0%’ proposto pela prefeitura. A coordenadora geral do Sindilimp-BA, sindicato que representa a categoria, Ana Angélica Rabello, diz que a situação está cada vez mais complicada e os profissionais continuam aguardando uma resolução.

“É uma verdadeira humilhação à categoria o reajuste 0% e sem nenhum diálogo. Somos pais e mães de família, que exercemos dignamente nossas profissões e que lutamos pela sobrevivência. O acorrentamento dos nossos trabalhadores foi uma medida extrema, porque estamos verdadeiramente cansados dessa arbitrariedade”, afirma Ana Angélica Rabello. Ainda de acordo com a coordenadora, mais manifestações serão realizadas pela categoria. “Continuaremos cada vez mais unidos e mais fortes para conseguir o nosso objetivo”, completa.

Os trabalhadores também ocuparam o plenário da Câmara e foram ouvidos pelos vereadores. De acordo com o líder do PT na Casa, vereador Luiz Carlos Suíca, a ação é legítima. “Precisamos urgentemente reconhecer a atuação dos profissionais terceirizados. Fora essa questão do reajuste zero da prefeitura, as empresas irregulares continuam prestando serviço e massacrando os trabalhadores. O protesto é a arma legítima para se tratar essas questões”, frisa Suíca.

Pular para a barra de ferramentas