‘Semana preta’ é símbolo de resistência na Chapada Diamantina; veja programação aqui

Publicidade
Postado em dez 4 2018 - 6:20pm por Jornal da Chapada

A programação segue desta quarta até sexta com intervenções artísticas oficinas | FOTO: Montagem do JC/Divulgação |

A ‘Semana Preta’, o maior evento de celebração no ‘Novembro Negro’, acontece no Ifba de Seabra, na Chapada Diamantina, entre os dias 5 e 7 de dezembro, desta quarta até a sexta-feira. O evento possui inscrição gratuita e é destinado para todos os públicos. Dança, música, filmes, culinária, teatro, arte e história, são algumas ações dessa nova edição. O projeto visa valorização do negro, por meio de oficinas como ‘Acarajé e Abará – com as mãos na massa e na história’, ministrada por Iara Lima. Tem também ‘Turbante e Tranças’, por Murilo e Lilian.

Além de ‘Graffiti: negritude e ativismo’ – com Annie Ganzala. ‘Dança de matriz africana na diáspora’ será ministrada por Toni Silva. ‘Teatro negro’ é com Luciana Souza. ‘Mulheres e Percussão’ pela Banda Didá, ‘Legado Afro: Danças Tradicionais’ por Gabriel Santos, ‘Angola e Samba Rural’ com Gilmar Rios, ‘Juventude, Racismo e Criminalização: Como se defender?’ que será ministrada por Diogo Sousa) ou de intervenções artísticas como a do Mr. John e Adailson “Black Wolf”.

O evento prossegue com programação nesta quarta (5) com exibição do documentário ‘Jarê das Lavras Diamantinas’ e palestras sobre as Relações África – Brasil: um legado a reconhecer na mesa 1. Com Palestrantes como: Fabrício Mota – Ifba Simões Filho, Vânia Cristina – Departamento de Reparação Racial, Renata Nascimento – Diretora da Uneb de Seabra, mediada por Maria Medrado, discente do Ifba de Seabra. E pra finalizar o Jarê de Andaraí vai realizar uma intervenção artística.

Já na quinta-feira (6), Juciara Santos – formada em Psicologia e Relações Raciais e a professora Carmélia Miranda da Uneb de Jacobina realizarão uma palestra na mesa 2 – mediada por Jussiane (aluna do 4º Ano do Curso técnico em Informática) com o tema ‘Legados Afro: Reconhecer e Criar’. Na sequência, Toni Silva vai realizar uma intervenção artística de solo e dança. Em seguida, começa as oficinas.

Para a sexta-feira (7) haverá uma roda de conversa sobre o documentário ‘O Caso do Homem Errado’ na qual Samara – aluna do 4º Ano do curso técnico de Meio Ambiente vai mediar o evento e apresentar a mesa 3 com a temática ‘Legados Afro: Criar e Resistir’ composta por Camila de Morais, diretora do documentário. Professor Diogo Sousa – Psicologia e Relações Raciais e Advogada Gabriela Ramos – Direito e Relações Raciais. Para finalizar a programação da manhã, o Trio Capão apresenta uma sequência de Dança Afro.

Durante a tarde de sexta, acontecem as palestras como: Vivian Caroline – Artes Negras – Banda Feminina Didá e Carol Barreto – NEIM UFBA – Moda e Legado Afro vão dar início à mesa 4 sobre os ‘Legados Afro: Criar e Resistir’. O encerramento fica por conta da Banda Feminina Didá BATUKCES, banda ‘Em Transe’ e do Sarau Ifba. A artista Luciana Souza conta sobre a importância de um evento como este para a população negra. “A ‘Semana Preta’ é mais um portal que além de favorecer a inclusão dos afrodescendentes em atividades educativas e culturais, também possibilita a socialização de idéias e a prática do diálogo, fortalecendo com isso as questões étnico-raciais”, afirma a artista.

O Ifba em parceria com a Uneb de Seabra teve a iniciativa de realizar esse evento que visa combater o racismo a partir da inclusão do povo negro em diferentes espaços trazendo como referência representantes negros de vários setores do mercado de trabalho, para a valorização da pessoa negra que segundo IBGE (2016) representa maioria da população brasileira. Todas as informações estão no site do evento. As informações são de assessoria.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.