Jornal da Chapada

#Turismo: Ganhe tempo para conhecer a Chapada Diamantina montando um roteiro antes de viajar

A Chapada é muito grande e vale escolher diferentes cidades e vilas para se hospedar, assim será possível reduzir o tempo de deslocamento entre os passeios e ainda conhecer um pouco mais da região.

Se programar para uma viagem à Chapada Diamantina é importante para quem quer aproveitar ao máximo a estadia nesse lugar encantador, mas muito extenso. Subir o Morro do Pai Inácio, ver a imensidão da paisagem no alto da Cachoeira da Fumaça, mergulhar nas águas transparentes da Pratinha e assistir ao espetáculo da luz no Poço Azul e no Poço Encantado é apenas o primeiro passo para conhecer um dos mais espetaculares roteiros de natureza do Brasil.

Tão espetacular que a cidade de Lençóis, principal base para quem deseja conhecer a região do Parque Nacional da Chapada Diamantina (PNCD), foi eleita o “Melhor Destino Nacional” de 2019 pelos leitores do Melhores Destinos. A Chapada, no entanto, vai muito além de Lençóis.

Reserve alguns dias das suas férias e prepare-se para uma viagem incrível e repleta de paisagens emocionantes. Quanto mais tempo por lá, mais você irá se apaixonar. E para te ajudar a se aventurar entre cachoeiras, montanhas, trilhas desafiadoras, grutas e banhos inesquecíveis nas águas mágicas do interior da Bahia, preparamos um post com dicas para a sua viagem à Chapada Diamantina.

As pousadas em Lençóis são as que mais atraem turistas | FOTO: Divulgação/Arquivo |

Hospedagem
A Chapada é muito grande e vale escolher diferentes cidades e vilas para se hospedar, assim será possível reduzir o tempo de deslocamento entre os passeios e ainda conhecer um pouco mais da região. Há boas pousadas em toda a região e não será difícil escolher um cantinho delicioso para relaxar depois de um dia de passeio.

As pousadas em Lençóis são as que mais atraem turistas. A cidade tem ampla oferta de agências de turismo, restaurantes e serviços. Lençóis é a principal base de hospedagem na Chapada Diamantina e, sem dúvida, a melhor opção para quem pretende explorar diversas belezas da região.

Para quem vai ficar mais dias na Chapada e pretende percorrer atrações mais distantes, outras boas pedidas são as pousadas em Mucugê, interessante especialmente para quem pretende conhecer o Poço Azul, o Poço Encantado e a Cachoeira do Buracão; as pousadas no Vale do Capão, vilarejo vizinho à Cachoeira da Fumaça e com clima mais alternativo; e a pitoresca vila de Igatu, uma cidade de pedra que é resquício dos tempos de garimpo. Veja mais sobre onde ficar e dicas de pousadas e hotéis na Chapada.

Confira o vídeo da Cachoeira do Buracão

Quando ir e clima
A Chapada pode ser visitada durante todo o ano, alguns detalhes, entretanto, poderão fazer muita diferença na hora da viagem. A alta temporada é marcada por todos os feriados (prolongados ou não), férias escolares e também pelo mês de agosto, período que costuma atrair muitos europeus. Nessas datas a região fica mais cheia e os preços, especialmente de hospedagem, ficam mais caros.

Os feriados de Ano Novo, Carnaval, Semana Santa e São João, por exemplo, costumam lotar as principais atrações. Visitar a Chapada com muita gente pode atrapalhar a experiência de maior contato com a natureza, afinal, nem sempre as trilhas estarão vazias. No resto do ano costuma ter um ritmo tranquilo, mas sempre com turistas.

O clima também é fator decisivo na hora da escolha do período da viagem. A Chapada é marcada por dois períodos distintos. O primeiro, de novembro a março, é quente e úmido, com muitas chuvas e temperaturas mais elevadas. Já os meses de maio a setembro são característicos pelo período mais seco e com temperaturas um pouco mais baixas. Os dois períodos têm vantagens, por isso é preciso estar atento às prioridades da viagem ao escolher o momento ideal para viajar.

O clima também é fator decisivo na hora da escolha do período da viagem | FOTO: Divulgação/Arquivo |

A temporada de chuvas na Chapada Diamantina, de novembro a março, deixa a vegetação mais exuberante e as cachoeiras mais cheias, tornando o visual ainda mais espetacular. É neste período também que a água está menos gelada. O lado negativo das chuvas é a dificuldade para fazer algumas trilhas (especialmente as que passam por dentro de cânions, como a Cachoeira da Fumacinha).

Alguns passeios se tornarão mais difíceis debaixo de chuva, mas o sol sempre aparece. Já a temporada mais seca, de maio a setembro, ajuda bastante a percorrer as trilhas, especialmente porque o clima estará bem mais agradável se comparado ao verão. O lado negativo é o baixo volume de água de algumas cachoeiras (inclusive a Cachoeira da Fumaça).

Para quem deseja ver o fenômeno dos raios de sol no Poço Azul e Poço Encantado é muito importante ficar ligado nas datas e também horário do fenômeno. Para ver o raio no Poço Azul, o passeio deve ser entre os meses de fevereiro e outubro, entre 12h30 e 14h. Já para o Poço Encantado, a viagem deve acontecer de abril a setembro e o passeio entre 10h e 13h30. Independente do raio, os dois locais são lindos e merecem visita durante todo o ano.

Para quem deseja ver o fenômeno dos raios de sol no Poço Azul e Poço Encantado é muito importante ficar ligado nas datas e também horário do fenômeno | FOTO: Divulgação/Arquivo |

Tempo de estadia
Para conhecer as principais atrações da Chapada será necessário ficar ao menos sete dias. Com esse tempo será possível conhecer lugares como o Morro do Pai Inácio, Cachoeira da Fumaça, Cachoeira do Buracão, Poço Azul, Poço Encantado, Poço do Diabo, Pratinha, Cachoeira do Mosquito, Cachoeira do Sossego, Ribeirão do Meio e ainda algumas grutas.

Com um pouco mais de tempo, entre dez e 12 dias, você já poderá investir em passeios mais desafiadores, como o Vale do Pati, a Cachoeira da Fumacinha e até um pernoite acampado para ver a lindíssima Cachoeira do Mixila. Agora, se o que você tem é apenas um feriado prolongado, vá mesmo assim. De pouquinho em pouquinho você conhecerá um montão da Chapada.

Se você pretende ficar muitos dias, converse com uma empresa de turismo sobre a possibilidade de pernoite em diferentes cidades. Assim você ficará menos cansado e poderá conhecer outros destinos. Para mais detalhes, veja os principais roteiros de passeios pela Chapada Diamantina oferecidos pelas agências locais.

Confira vídeo divulgado por Túlio Saraiva

Para quem viaja de carro o trabalho será um pouquinho maior. É preciso avaliar todas as atrações, saber onde ficam, quais podem ser visitadas no mesmo dia, como chegar a cada uma delas e o tempo que dura o passeio. Quando você tiver em mente quais pontos gostaria de conhecer, defina qual a melhor localidade para o pernoite.

Há diversas bases e não é preciso ficar preso a Lençóis. Muito pelo contrário. O ideal é fazer um roteiro com hospedagem também em regiões como Mucugê, Vale do Capão e até mesmo Igatu. Para te ajudar na organização da viagem, veja algumas sugestões de roteiros na Chapada Diamantina para viagens de até dez dias ou mais. Jornal da Chapada com informações de Melhores Destinos.