Jornal da Chapada

#Chapada: Associação repudia decisão do Inema que autoriza desmatar vegetação nativa na região de Piatã

As portarias emitidas pelo Inema permitem o desmatamento de aproximadamente mil hectares de mata nativa e manejo de fauna, na região do Gerais do Piatã, pela empresa Suichi Hayashi.

A associação Brigada Altitude Ambiental da Chapada Diamantina emitiu uma ‘Carta de Repúdio’ contra as portarias nº21.671 e nº21.672, emitidas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), no dia 19 de outubro de 2020, permitindo o desmatamento de aproximadamente mil hectares de mata nativa e manejo de fauna, na região do Gerais do Piatã. A empresa Suichi Hayashi é que atua no local para a implementação de agricultura irrigada de batata sementes, cultura intensiva no uso de agrotóxicos e de recursos hídricos.

De acordo com os dados divulgados, esse modelo de agricultura coloca em risco a segurança hídrica do município e representa um perigo para a conservação dos recursos naturais da região, que abriga nascentes de três importantes bacias hidrográficas do Estado: Contas, Paraguaçu e Paramirim (sub-bacia do São Francisco). Ainda conforme informações, os impactos negativos vão além da questão ambiental, permeando também o social, uma vez que agricultores familiares localizados abaixo e ao redor do empreendimento, podem ter suas atividades econômicas inviabilizadas.

Na carta, a associação salienta que empreendimentos deste porte geram um forte impacto social nas comunidades, devido ao grande volume de pessoas que passam a transitar na região. “Muitas vezes vindas de fora, para os trabalhos temporários de colheita de batata. Cascavel [distrito de Ibicoara] é um exemplo vivo disso, que de uma pacata comunidade rural, passou a apresentar elevados índices de violência”.

Esse modelo de agricultura coloca em risco a segurança hídrica do município | FOTO: Divulgação |

A direção da associação reitera que é contra o progresso no município chapadeiro, mas que acredita “que oportunidades de emprego e renda precisam ser trazidas e desenvolvidas na região. Mas, hoje temos alternativas que, além de gerar desenvolvimento, também preservam os nossos recursos naturais, nossa cultura e o nosso povo. A exemplo, temos os cafés premiados, a grande diversidade de produtos cultivados pela agricultura familiar, além da nossa exuberante natureza, com locais de rara beleza cênica, que propiciam o desenvolvimento de um turismo rural e ecológico”.

O documento é enfático ao pedir que o Inema revogue as portarias emitidas, pois “colocam em risco a soberania hídrica e a biodiversidade da nossa região. Cabe ressaltar que tais portarias foram emitidas em um momento de grave crise ambiental, com a pandemia ainda fora de controle e que pede, neste momento, isolamento e paciência de todos os setores da sociedade”, salienta trecho da ‘Carta de Repúdio’ da associação.

“Ainda gostaríamos de afirmar que um projeto deste porte deve ser implementado somente após a realização de uma Audiência Pública, com ampla divulgação e participação popular, para que a sociedade possa entender as vantagens, desvantagens e consequências do avanço da fronteira agrícola no nosso município”, complementa outro trecho da carta da associação Brigada Altitude Ambiental da Chapada Diamantina divulgada na última quarta-feira (28). Confira aqui a íntegra da carta.

Jornal da Chapada

Leia também

#Chapada: Moradores criticam decisão do Inema que autoriza o desmatamento de quase mil hectares de vegetação em Piatã

Pular para a barra de ferramentas