Jornal da Chapada

#Chapada: Confira algumas opções de pontos turísticos para feriado prolongado de Semana Santa

O Jornal da Chapada resolveu listar alguns dos pontos turísticos, que englobam belos cenários, e que estão funcionando com as recomendações das autoridades de saúde.

A Chapada Diamantina é um dos locais mais procurados por turistas e para quem, em especial, deseja se conectar com a natureza. No entanto, em meio à pandemia de covid-19, além do uso da máscara de proteção facial, álcool em gel e distanciamento social, outra questão se tornou necessária durante as viagens: o agendamento.

Para evitar aglomerações e ajudar no controle do fluxo de visitantes, a plataforma Janoo de agendamento prévio das visitas contribui para diminuição da aglomeração, e consequentemente da propagação do coronavírus, visto que também é possível identificar quais atrativos estão sendo mais procurados na data escolhida, como forma de alertar o turista.

Com mais de 300 cachoeiras, trilhas, vales, montanhas e grutas, a Chapada Diamantina é capaz de fazer com que o turista tenha atrações para cada dia por mais de um mês. Neste feriado prolongado de Semana Santa, que ocorre de 28 de março até 3 de abril, o Jornal da Chapada resolveu listar alguns dos pontos turísticos, que englobam belos cenários, e que estão funcionando com as recomendações das autoridades de saúde.

A Cachoeira da Fumaça fica no município de Palmeiras | FOTO: Divulgação/Jota Freitas |

Cachoeira da Fumaça
Uma das principais atrações da Chapada é a segunda cachoeira mais alta do Brasil e uma das maiores da América do Sul, a Cachoeira da Fumaça, que conta com 340 metros. O atrativo foi autorizado a reabrir no dia 14 de dezembro de 2020.

A queda d’água fica localizada no Parque Nacional da Chapada Diamantina, no município de Palmeiras, distante 75 km de Lençóis. O seu nome faz referência ao efeito provocado pela força dos ventos, que impede a água de chegar à base, formando uma espécie de fumaça com as gotículas que são borrifadas para cima (leia mais).

Para vislumbrar a água que jorra de um buraco no paredão, a maneira mais prática é de cima, no qual a pessoa arrasta-se até a beira do precipício, precisando caminhar cerca de 6km, isto é, duas horas. No entanto, quem pretende apreciar a queda por baixo, são três dias de caminhada em meio às serras, partindo de Lençóis.

Com variadas opções de trilhas curtas e longas, este roteiro é acessível a diversos perfis de visitantes e conta com infraestrutura turística de qualidade | FOTO: Reprodução |

Rampa do Caim
A trilha de acesso a Rampa do Caim, em Andaraí, na Chapada Diamantina, que dura duas horas de caminhada, é remanescente dos garimpos de Diamante. Da rampa, é possível ver as vistas do Vale do Pati e do Rio Paraguaçu. Outros atrativos deste roteiro são esses: o encontro dos rios Paraguaçu e Pati, o provável encontro com garimpeiros que ainda vivem a trabalhar em alguns locais onde passa nossa trilha e o poço da Cachoeira da Donana, local para banhos no fim do trekking.

O Vale do Capão foi eleito o melhor destino e o mais acolhedor | FOTO: William Lima |

Vale do Capão
O Vale do Capão, que possui como nome oficial Caeté-Açu, é um dos principais destinos da Chapada Diamantina. Embora o ambiente seja bastante interessante para relaxamento, um dos principais focos do turista no local são as trilhas, no Capão e em Conceição dos Gatos.

Do Vale do Capão é possível ter acesso mais fácil a atrações como a Cachoeira da Fumaça, o Vale do Pati e a trilha das Águas Claras, por onde se chega ao Morrão e ao Morro do Pai Inácio. Além delas, é possível também visitar as cachoeiras do Riachinho, Angélica e da Purificação.

Jornal da Chapada

Leia também

#Chapada: Turismo ecológico vira tendência em 2021 e região é um dos destinos mais procurados por aventureiros

Pular para a barra de ferramentas