Jornal da Chapada

#Brasil: Lula justifica grito de “Bolsonaro genocida”; “Milhares morrem por sua incompetência”

Nesta semana, militantes foram presos e o influenciador Felipe Neto foi acionado judicialmente.

O ex-presidente Lula (PT) usou as redes sociais na noite desta sexta-feira (19) para defender as pessoas que foram presas ou intimidas nos últimos dias por chamar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida em razão de sua atuação diante da pandemia de covid-19. Para o ex-líder sindical, Bolsonaro tem responsabilidade nas mortes ocorridas no período.

“É um ato de provocação à liberdade de manifestação mandar prender alguém por chamar Bolsonaro de genocida. Ele poderia ser chamado de salva-vidas se tivesse sido responsável, mas preferiu sair vendendo mentira e remédio sem efeito, enquanto milhares morrem por sua incompetência”, disse Lula, no Twitter.

A declaração do ex-presidente acontece em uma semana em que manifestantes foram presos por estender faixa em Brasília dizendo que Bolsonaro é genocida e que o influenciador digital Felipe Neto virou alvo de ação por usar o termo nas redes sociais. A maioria dos militantes da faixa já foram liberados, mas Rodrigo Pilha, do PT, segue preso e foi encaminhado a presídio.

Além disso, nesta mesma semana, foi divulgada a notícia de que o sociólogo Tiago Costa Rodrigues, secretário de formação do PCdoB em Tocantins, foi intimado pela PF por outdoor que dizia que “Bolsonaro não vale um pequi roído”. Redação da Revista Fórum.

Pular para a barra de ferramentas