Jornal da Chapada

#Chapada: Responsáveis por ‘live’ encerrada pela polícia em Palmeiras afirmam que evento não infringia decreto estadual

Policiais militares barraram a ‘live’ junina durante a primeira apresentação da programação do evento virtual.

A empresa Ricardo Rocha Cerimonial, responsável pela ‘live’ ‘Editorial festas juninas’, na cidade de Palmeiras, na Chapada Diamantina, afirma que o evento, interrompido no último domingo (20) por autoridades policiais, não infringia o decreto estadual, imposto em razão da pandemia de covid-19.

Segundo informações, duas atrações iriam se apresentar. Contudo, a ‘live’ foi barrada logo na primeira participação pela Polícia Militar do município de Lençóis, “por considerar o evento como um descumprimento ao decreto estabelecido pelo Governo da Bahia”. Em contrapartida, os responsáveis afirmam que todos protocolos de higienização estavam sendo seguidos.

“Fomos interrompidos com a presença da Policia Militar, mesmo não estando aglomerando, já que no espaço se encontravam apenas os artistas e pessoal responsável pelo som e iluminação, o que não totalizava nem 20 pessoas em um espaço amplo aberto e muito ventilado”, pontuam os organizadores.

No evento, que contou com patrocinadores e apoiadores, estavam programados para participar: Geisiane e banda, assim como o cantor Percebes Rabelo, sendo que o último agradeceu pelo apoio por meio de vídeo, explicando o motivo de não conseguir cantar.

Conforme relatos, uma cavalgada provocou aglomeração e não foi encerrada | FOTO: Divulgação |

A programação iniciou às 16h e tinha previsão para ser finalizada por volta das 22h. Conforme relatos concedidos ao Jornal da Chapada (JC), no mesmo dia, o município presenciou aglomerações em corrida de cavalo e na praça da cidade, eventos que não foram barrados e dispersados pelos militares.

Jornal da Chapada

Pular para a barra de ferramentas