Jornal da Chapada

#Brasil: Conheça alguns dos golpes do PIX e saiba como não cair

PIX | FOTO: Divulgação |

O PIX facilitou a vida de todo mundo que precisa transferir dinheiro rapidamente em qualquer horário e dia da semana. Junto com ele, no entanto, chegaram vários golpes que têm se tornado cada vez mais recorrentes.

Por conta disso, muitos comerciantes pararam de aceitar a modalidade como forma de pagamento. A melhor estratégia para evitar esses golpes continua sendo a mesma: a informação. A maioria desses golpes são manjados e podem ser evitados com um mínimo de atenção. Veja abaixo alguns exemplos:

O falso funcionário
A vítima recebe contato de alguém que tenta se passar por um funcionário do banco ou empresa financeira oferecendo ajuda para cadastro da chave PIX, ou afirmando a necessidade de realizar algum teste, induzindo à realização de transferência bancária que será feita, na realidade, para a conta do golpista. Fique atento: funcionários de instituições financeiras não entram em contato com cliente, a não ser em situação de emergência. Normalmente são pessoas que mal tem tempo para respirar, tamanha a demanda que tem no dia a dia.

Falso sequestro
O golpe do falso sequestro é o mais manjado de todos, mas tudo se tornou mais fácil com o PIX. A pessoa entra em contato com a vítima, afirmando que sequestrou alguém da família e fala que tem um valor a ser pago. A golpista aproveita o desespero da pessoa, e até imita a voz de um familiar, para induzir a realização da transferência. Respire fundo: tente entrar em contato com o familiar e, ao mesmo tempo, faça algo para tentar arrancar do suposto sequestrador algum traço característico do seu parente como nome, roupa que está vestindo, onde estava, idade, o que faz etc.

Golpe do Bug
Esse golpe espalha em redes sociais (vídeos ou mensagens de WhatsApp, por exemplo), informações de que o PIX está com alguma falha em seu funcionamento (chamado “bug”) e é possível ganhar o dobro do valor que foi transferido para chaves aleatórias. Contudo, ao tentar tirar proveito dessa ação, a vítima enviará dinheiro para golpistas. Para não cair seja honesto e não tente arranjar dinheiro fácil. Do contrário, você merece mesmo entrar bem.

Phishing
O phishing é outro golpe antigo e um dos mais perigosos. Eles usam mensagens de lojas, instituições financeiras entre outros que tentam se passar por verdadeiras para que a vítima passe informações confidenciais, como senhas e números de cartões. Atenção: jamais clique em links suspeitos, principalmente quando se trata de dinheiro. Se clicar, quando entrar no site, verifique se há um pequeno cadeado no início do endereço. Se houver, aparentemente está tudo certo.

Clonagem de WhatsApp
A clonagem do WhatsApp é outro golpe comum. Neste caso, o pilantra consegue a foto de algum parente próximo ou empresa que a vítima tenha relação e faz uma mensagem solicitando dados afirmando se tratar de uma atualização, manutenção ou confirmação de cadastro ou simplesmente pedindo dinheiro. Atenção: nesses casos, confira sempre o número do celular da mensagem ou busque o endereço do parente ou da empresa que você tem na sua lista. Os dois ficarão abertos na sua tela e você facilmente vai reconhecer o verdadeiro.

Mais do WhatsApp
Em uma variação da clonagem, o criminoso escolhe uma vítima, pega sua foto em redes sociais, e, de alguma forma, consegue descobrir números de celulares de contatos da pessoa. Com um novo número de celular, envia mensagens por WhatsApp para esses contatos, informando que teve de trocar de número devido a algum problema. Assim, aproveita e pede uma transferência via PIX, dizendo estar em alguma emergência. Como evitar: Passe este texto para seus contatos para que eles aprendam a não cair nessa. Redação da Revista Fórum com informações do Canaltech.

Pular para a barra de ferramentas