Jornal da Chapada

#Brasil: Atriz Dira Paes interpreta ‘Pureza’ e retrata a luta contra o trabalho escravo no país

Dira Paes e Dona Pureza | FOTO: Reprodução/Divulgação redes sociais TV Globo |

Nos cinemas brasileiros desde o dia (19), o filme Pureza, protagonizado pela atriz Dira Paes, vencedor de 28 prêmios nacionais e internacionais conta a história real de Pureza Lopes Loyola que foi em busca de seu filho aliciado por trabalhos análogos à escravidão, desde o Maranhão até o Pará.

A intérprete Dira Paes, vale ressaltar, também é uma atriz extremamente engajada nas políticas sociais, além de apoiar várias ONGs através das quais ela própria já conhecia o histórico de luta da personagem que interpretou.

“Sou maranhense e nunca tinha ouvido falar na história da dona Pureza, mulher forte e guerreira. Incrível como a história dos nossos e verdadeiros heróis não são contadas”, diz a atriz em um vídeo publicado no canal Quebrando o Tabu.

“Estamos contando a história de uma heroína brasileira, que existe, que mora em Bacabal, no Maranhão… [sic] E essa mulher é brasileira e através da sua coragem, ela faz as primeiras imagens de trabalho escravo contemporâneo no campo no mundo, porque ela estava em busca do seu filho”, ressalta Dira Paes.

Em 1997, Pureza foi agraciada com o Prêmio Antiescravidão em Londres pela Anti-Slavery International, a organização abolicionista mais antiga em atividade.

Dirigido por Renato Barbieri, o longa foi filmado, na maior parte do tempo, na Amazônia e teve como base a cidade de Marabá, no Pará.

A história relata que no interior do Maranhão, dona Pureza trabalha fabricando tijolos ao lado de seu filho Abel. Em busca de uma vida melhor, o rapaz decide tentar a sorte nos garimpos da Amazônia.

No entanto, quando fica meses sem receber notícias do filho, Pureza inicia uma jornada para descobrir o seu paradeiro. Na busca por Abel, a mãe percorre cidades, fazendas e descobre um cruel sistema de aliciamento e cárcere de trabalhadores rurais. Ela testemunha o tratamento brutal aos trabalhadores.

Com coragem para denunciar, Pureza consegue escapar da fazenda e decide procurar as autoridades federais. Sem credibilidade, e lutando contra um sistema forte e perverso, a trabalhadora rural retorna à fazenda para registrar provas e pressionar o governo – sem nunca perder de vista a busca por seu filho Abel.

Tuitaço de alerta

Com o intuito de alertar a população sobre o trabalho escravo ainda presente no Brasil, a produção do longa do diretor Renato Barbieri, promoveu um ‘tuitaço’ com as hashtags ‘#NaoAoTrabalhoEscravo’ e ‘#SomosTodosPureza’.

O protesto digital contou com o apoio de 85 entidades abolicionistas engajadas no combate ao trabalho escravo, além de artistas e apoiadores da causa como a protagonista do filme, Dira Paes, as atrizes Camila Pitanga e Patrícia Pillar, os jornalistas Chico Sá e Leonardo Sakamoto, entre outros. Com informações da Revista Fórum.

Pular para a barra de ferramentas