PDT conversa com Wagner, mas a decisão sobre vice de Rui é adiada

JC
Postado em jan 9 2014 - 11:40am por Jornal da Chapada
lupi

Presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, foi claro quanto à condição do PDT | FOTO: Emerson Nunes/Política Livre |

O PDT continua em busca da vaga de vice na chapa majoritária encabeçada pelo petista Rui Costa. Em reunião ontem com o governador Jaques Wagner, a trupe pedetista, formada pelo presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, e dos presidentes nacional e estadual da legenda, Carlos Lupi e Félix Mendonça Jr, decidiram pelo apoio ao projeto do governo, mas ainda não conseguiu emplacar Nilo como o nome da vice. Entretanto, foi apresentada a Wagner uma lista tríplice com nomes que podem substituir o secretário de Ciência e Tecnologia (Secti), Paulo Câmera.

“Nesse período de aliança ele [Jaques Wagner] me colocou a decisão já pública da candidatura do Rui Costa como seu candidato a governador. Eu coloquei, como é o meu papel, que o PDT não abre mão de estar na majoritária. Nós temos hoje um senador da República que já luta na Bahia nesta chapa de aliança, que é o senador João Durval, e Wagner disse que compreendeu, mas que não pode decidir agora por ter criado o critério de ouvir todos os partidos – porque o PP também reivindica”, comenta o presidente nacional, do PDT, Carlos Lupi, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia.

Para Lupi, agora o momento é de “costurar esse processo” e defender o projeto de participar da chapa do PT. Ele também afirma que o partido não descartou a possibilidade de ter um candidato próprio que, neste caso, seria o deputado Marcelo Nilo. “A nossa tendência natural é estar aliado ao governador Jaques Wagner e Rui Costa desde que tenhamos uma vaga na chapa majoritária”, completa. Já o presidente estadual Félix Mendonça Jr. disse à Tribuna que “não existe pressão pessoal e que o PDT mostra prestígio em ter o presidente nacional em todo momento do processo”.

O partido também se reuniu com a imprensa em coletiva no Hotel Othon, em Ondina, em Salvador, para prestar contas da atuação na Bahia, da participação no governo do Estado e sobre o apoio à candidatura de Rui Costa à sucessão. Também foi esmiuçada a lista tríplice composta por Abel Rebouças, de Vitória da Conquista, ex-reitor da Uesb, Enzo Faustino, que já assumiu Secretaria temporariamente e hoje é vice-prefeito do município de Ubatã, e a ex-vereadora Andrea Mendonça – a mais cotada para assumir a Secti no governo.

“Nós apresentamos essa lista tríplice em substituição à Secretaria, ele [Jaques Wagner] está estudando isso e ficou para semana que vem [dia 17] ter uma palavra final ao presidente estadual Félix Mendonça, se possível ampliar o espaço do partido”, avalia Lupi. Questionado sobre a peleja entre PDT e PP, o ex-ministro do Trabalho e Emprego diz que esse processo é “natural quando se faz uma composição de governo que cada um [partido] quer ampliar sua representatividade. O PP tem que defender seu lado e eu, como presidente nacional do PDT, tenho que dialogar, faz parte do processo democrático”. Extraído na íntegra da Tribuna da Bahia.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.