Governo inaugura primeira mineradora de Vanádio das Américas em Maracás

Postado em maio 21 2014 - 3:59pm por Jornal da Chapada
vanádio

A Vanádio de Maracás S/A foi inaugurada nesta quarta | FOTO: Carla Ornela/GOVBA |

A primeira mineradora de vanádio das Américas foi inaugurada nesta quarta-feira (21), com a presença do governador Jaques Wagner, em Maracás, sudoeste da Bahia. A Vanádio de Maracás S/A, empresa do grupo canadense Largo Resources, possui o maior teor do metal em todo o mundo. A planta baiana, que teve um investimentos de R$ 555 milhões, possui capacidade para produzir até nove mil toneladas por ano de pentóxido de vanádio. A matéria prima é utilizada, principalmente, em indústrias de aços especiais nas áreas de óleo e gás, materiais cirúrgicos, turbinas eólicas e ferrovias de alta velocidade. A produção é exportada para mercados da Europa, Estados Unidos, Coréia do Sul e Japão.

O presidente das Operações no Brasil, Kurt Menchen, explica que a mina produz o melhor vanádio do mundo, favorecendo a competitividade no mercado. “A operação da Vanádio Maracás posiciona o Brasil estrategicamente na produção do minério, uma vez que a produção inicial corresponde a 7% do consumo mundial do mineral”, afirmou.

Desenvolvimento econômico
Além do setor industrial, a população de Maracás também ganha com a instalação da empresa no Brasil, que oferece desenvolvimento da economia e geração de emprego. A previsão é criar dois mil empregos diretos e indiretos, sendo que a maior parte da mão de obra é local. “Tenho muito orgulho de participar desta história e de contribuir para a implantação da primeira mina de vanádio das Américas . Esta empresa vai dinamizar a economia do estado e do município, gerando emprego e renda. Os trabalhadores baianos são dedicados e tenho certeza que a direção da empresa vai se orgulhar da mão de obra”, afirmou o governador Jaques Wagner.

A cidade de Maracás, localizada a 354 quilômetros de Salvador, vive um momento de dinamismo da economia, antes baseada em agricultura, pecuária e produção de flores. “Antes de trabalhar aqui na mineradora, eu transportava melancias e não estava satisfeito com esse trabalho. Comecei na Vanádio como auxiliar de serviços gerais e hoje sou amostrador. Minha carteira é assinada e ganho um salário que me permite dar melhores condições de vida aos meus filhos e a minha esposa”, conta Ubiratan Moura, 39 anos. A estimativa dos investidores é que, para cada emprego gerado direta ou indiretamente pela mineradora, até sete postos de trabalham sejam criados na região, impactando substancialmente nos negócios e na renda da população local.

Desde o lançamento da pedra fundamental da mina, em fevereiro de 2013, a cidade ganhou novos restaurantes, lojas e hotéis para atender à maior demanda com a chegada de executivos e trabalhadores, além do maior poder de consumo dos moradores contratados.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.