Ministro do STF manda afastar Aécio Neves do mandato de senador; prisão não será votada

JC
Postado em maio 18 2017 - 12:35pm por Jornal da Chapada
foto

Além de afastar o senador Aécio, o relator da Lava Jato no STF também ordenou afastamento do deputado Rocha Loures (PMDB-PR) da Câmara | FOTO: Reprodução |

O ministro e relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, já mandou afastar o presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), das funções no Senado Federal. No início da manhã, a informação era que o magistrado havia optado por não decretar monocraticamente o pedido apresentado pelo procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot, para prender o parlamentar tucano.

O caso seria levado ao plenário do Supremo. No entanto, por volta do meio-dia, o STF informou que o ministro Edson Fachin negou o pedido de prisão de Aécio Neves e não levará a decisão sobre o assunto para o plenário. Fachin apreendeu o passaporte de Aécio e o proibiu de ter contato com outros investigados. O ministro já homologou a delação premiada, nesta quinta (18), dos proprietários do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, que dá validade jurídica aos depoimentos.

Leia também
#Brasil: Rodrigo Janot determina exoneração de procurador preso em operação da PF
#Brasil: Procurador-geral pede prisão de Aécio, Fachin manda ao plenário do STF e PF prende irmã e primo do senador
#Brasil: Imóveis ligados a Aécio Neves em diferentes estados são alvos de ação da PF

Afastamento de Rocha Loures
Conforme publicou o G1, o relator da Lava Jato determinou que o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) seja afastado da Câmara. Fachin, a exemplo do que decidiu em relação a Aécio, também preferiu não enviar ao plenário do tribunal o pedido da PGR para prender o deputado do PMDB.

Operação Patmos
De acordo com a PF, são cumpridos cerca de 49 mandados judiciais expedidos pelo ministro Fachin. São 41 de busca e apreensão e 8 de prisão preventiva. As ações ocorrem em Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo e Maranhão, além do Distrito Federal.

Segundo a polícia, o objetivo das medidas é coletar provas de corrupção e crimes contra a administração pública, entre outros crimes, nas investigações que tramitam no STF. A operação que tem Aécio como um dos alvos foi batizada pela PF como Patmos, em referência à ilha grega onde o apóstolo João teve visões do Apocalipse. Jornal da Chapada com informações do Globo News e G1.

#NinjaAoVivo no Congresso: Coletiva de Imprensa na Câmara de Deputados

Leia também
#Brasil: Em nota, Temer diz que “jamais solicitou pagamento para obter silêncio de Cunha”
Lula publica fotos de Moro com Temer e Aécio em rede social após delação dos donos da JBS
#Polêmica: Propina de Aécio foi depositada em conta da empresa de Perrella, dono do helicoca

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

2 Comentários Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.