Jornal da Chapada

Bolsonaro diz que não há constrangimento em visitar a Bahia: “Nordeste é Brasil, é minha terra”

Questionado se deixaria de ir ao Maranhão, Bolsonaro disse que não deixaria de ir se tivesse algum evento marcado no estado | FOTO: Rafaela Felicciano/Metrópoles |

O presidente Jair Bolsonaro disse, neste domingo (21), que não existe constrangimento em sua visita à Bahia, marcada para esta semana, após criticar alguns governadores do Nordeste. Em conversa com os jornalistas, na porta do Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou que o Nordeste é “sua terra”. “Bahia é Brasil, não tem problema”, disse. Está programada uma visita à cidade baiana de Vitória da Conquista, na próxima terça-feira (23), para inaugurar o Aeroporto Glauber Rocha. “Nordeste é Brasil, é minha terra. Eu ando em qualquer lugar do território brasileiro”, completou.

Questionado se deixaria de ir ao Maranhão, Bolsonaro disse que não deixaria de ir se tivesse algum evento marcado no estado. “Se tiver um evento [no Maranhão] eu vou, por que não?”. Na Bahia, o líder do governo na Assembleia Legislativa (Alba), deputado Rosemberg Pinto (PT), defendeu neste domingo que o governador Rui Costa (PT) não participe do ato de inauguração do novo aeroporto de Vitória da Conquista. De acordo com o parlamentar, Bolsonaro quer organizar um evento só para a elite. “Nós queremos uma cerimônia para o povo”, defendeu o líder governista, ao criticar os critérios utilizados pela presidência da República na organização do ato de inauguração do aeroporto.

“Só poderão participar apenas 300 pessoas. O governador só terá direito a convidar 70 pessoas. O prefeito de Vitória da Conquista, Hérzem Gusmão, terá direito a 50 convidados e Bolsonaro outros 150 convidados, além de 30 jornalistas. Ou seja, serão 200 pessoas para vaiar o governador Rui Costa”, alertou o parlamentar. Rosemberg defende que o governo do Estado realize um ato de inauguração após o evento organizado pelo presidência da República. “O ato poderá ser na parte da tarde do dia 23, ou no dia 24 ou 25, quando o aeroporto começará a operar voos comerciais para São Paulo e Minas Gerais”, sugeriu.

Ancine
O presidente voltou a reforçar suas críticas ao financiamento de filmes classificado por ele como “pornográficos”. “O poder publico não tem que ficar se metendo em tudo. E outra coisa, dinheiro público para fazer filme pornô não. Não existe censura da minha parte. O que eu falei foi o seguinte: com dinheiro público não pode fazer esse tipo de filme”. O presidente se referiu especificamente ao filme Bruna Surfistinha, lançado em 2011, e que conta a história de uma prostituta. Ele também disse que a Agência Nacional do Cinema (Ancine) irá para Brasília ou será privatizada. Com informações da Agência Brasil e assessoria.