Jornal da Chapada

#Chapada: Secretário de Governo de Nova Redenção volta a cobrar fim de aglomerações; “Não temos vacina e nem remédio”

Ivan Soares frisa que a prefeita Guilma tem acompanhado de perto todo o processo de enfrentamento dos efeitos causados pela pandemia e que a gestão “mantém todas as regras e cumpri os protocolos tanto do governo do estado quanto da OMS.

Para manter a covid-19 fora do município, a prefeitura de Nova Redenção, na Chapada Diamantina, tem monitorado casos suspeitos e cumprido com os protocolos estabelecidos pelos órgãos de saúde. No entanto, volta e meia, a gestão reforça a importância de evitar as aglomerações tanto na sede quanto na zona rural. E foi com esse intuito, que o secretário de Governo Ivan Soares voltou a gravar vídeo para informar que medidas mais rigorosas podem ser tomadas para fazer cumprir os decretos municipais e estaduais em vigor durante a crise sanitária. Ele reforça que alguns grupos de pessoas continuam relutantes e causando aglomerações.

“Estamos tendo problemas de aglomeração, a gente não quer tomar medidas de ‘toque de recolher’ como alguns municípios têm feito. Tem que clamar para o bom senso e consciência do nosso povo, no sentido de saber que o distanciamento, o uso da máscara são as melhores medidas por enquanto. Nós não temos vacina e nem remédio. Então, vamos pedir mais uma vez que continuem vigilantes nas medidas, que estão sendo praticadas para que a gente não tenha mais infectado em nosso município”, salienta o titular Ivan.

Pronunciamento do secretário de Governo de Nova Redenção

Ele frisa que a prefeita Guilma Soares (PT) tem acompanhado de perto todo o processo de enfrentamento dos efeitos causados pela pandemia e que a gestão “mantém as regras que foram criadas e os cumprimentos dos protocolos tanto do governo do estado quanto da OMS [Organização Mundial de Saúde]”. Ivan destaca ainda que a administração municipal busca manter essas situações e deixar o município distante de qualquer infecção”.

“Já tivemos um caso, que foi curado. Outros dois casos que não eram daqui, mas as pessoas tinham o cartão do SUS [Sistema Único de Saúde] de Nova Redenção e isso já foi resolvido. E dizer a cada um que todos os dias devemos cumprir nossa parte. Esse vírus parou tudo. Estamos em situação econômica, social, de saúde e sanitária grave. Tem gente com depressão e o sujeito com problemas de saúde com medo de tratar para não pegar o vírus. As pessoas estão morrendo de infarto, não cuidando de outras doenças”.

Ivan finaliza dizendo que o Brasil já tem 60 mil mortes oficiais por covid-19 e se colocar no lugar de quem perdeu a família. “O vírus não escolhe ninguém, vamos todos cumprir com as recomendações para sairmos, o quanto antes dessa crise”. Até está quarta-feira (1º), Nova Redenção não apresentava caso ativo da doença infectocontagiosa. Apenas 29 pessoas são monitoradas pelas equipes de saúde.

Jornal da Chapada

Boletim atualizado