Jornal da Chapada

#Vídeo: Estudante picado por naja está em coma e família compra doses de antídoto nos Estados Unidos

No país, apenas o Instituto Butantan, em São Paulo, tinha antídoto; e a família do jovem conseguiu comprar mais doses nos Estados Unidos.

Um estudante de medicina veterinária está em estado de coma em um hospital do Gama (DF), após ter sido picado por uma cobra do tipo naja na última terça-feira (7), informa o Metrópoles. Pedro Henrique Santos Krambeck Lehmkul estuda medicina veterinária com ênfase em animais silvestres e exóticos. A cobra naja não é nativa do Brasil e a polícia ainda investiga como o animal teria chegado ao país. O animal foi localizado e capturado por policiais na noite da quarta-feira (8).

No Brasil, apenas o Instituto Butantan, em São Paulo, tinha antídoto para o veneno desta cobra. Todas as doses foram enviadas para o Distrito Federal, e a família do jovem conseguiu comprar mais doses nos Estados Unidos. A nova leva de antídotos chegou ao Brasil nesta quinta-feira (9).

De acordo com o Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), o animal foi encontrado no Setor de Clubes Esportivos Sul. Segundo o comandante do BPMA, major Elias Costa, a cobra estava em um local escuro, atrás de um monte de areia. “O animal estava aparentemente bem. Nós não encontramos ele agressivo, demonstrava até parecer tranquilo”.

A Polícia Civil do Distrito Federal e o Ibama suspeitam que a naja estivesse sendo criada, em casa, pelo estudante de veterinária. De acordo com a ocorrência registrada na Delegacia Especial de Combate à Ocupação Irregular do Solo e aos Crimes Contra a Ordem Urbanística e o Meio Ambiente (Dema), um auditor fiscal do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) procurou a delegacia, nesta quarta, informando que não há registro de importação da serpente.

O estudante de veterinária Pedro Henrique | FOTO: Divulgação |

Pedro Henrique está com insuficiência respiratória e, por isso, foi submetido à intubação. O quadro é considerado grave. Ele está com ventilação mecânica e sonda. As informações são da revista Isto É e portal G1.