Jornal da Chapada

Zambelli ataca a proposta de Aécio sobre obrigatoriedade de vacinação e sugere exames toxicológicos para parlamentares

“É um absurdo interferir na liberdade individual e também que haja recorrentes dúvidas sobre a sobriedade dos parlamentares”, afirma a deputada.

Em resposta à proposta do deputado federal Aécio Neves (PSDB-SP), de tratar a vacina do covid-19 com obrigatoriedade diante a sociedade brasileira, assim como o voto, a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), em nota, diz está planejando apresentar um projeto de lei que obriga aos parlamentares a realizarem periodicamente exames toxicológicos com a punição de cassação imediata no caso de resultado positivo para drogas ilícitas.

“É um absurdo interferir na liberdade individual e, também, que haja sobre a população recorrentes dúvidas quanto à sobriedade dos parlamentares. A classe política deve ser exemplo e, infelizmente, não o é há muito tempo”, afirma deputada. A proposta de Aécio Neves seria obrigar o cidadão a se vacinar contra a covid-19, criando penalidades para aquele que for contra a medida, assim como as aplicadas em caso do cidadão não comparecer para votação, ou não regularizar sua situação com a Justiça Eleitoral.

Dentre as penalidade estão não receber salário de função ou emprego público, tirar passaporte, não ser nomeado para cargos públicos e fazer empréstimos. A deputada federal do PSL disse que deve prevalecer a livre escolha do cidadão, e que a imposição de uma vacina sem comprovação de eficácia “representa retrocesso aos direitos fundamentais dos cidadãos”, quando apresentou no dia 20 de outubro, um PL, no qual torna se crime funcionário público obrigar o cidadão a vacinação contra o novo coronavírus, e em caso de descumprimento, pena de reclusão de um a cinco anos. Jornal da Chapada e informações do Bahia Notícias.

Pular para a barra de ferramentas