Jornal da Chapada

Valmir Assunção reforça pedido para que Prêmio Nobel da Paz de 2021 seja da brigada de médicos cubanos

“Será nossa retribuição à demonstração de amor. Uma contribuição única para a sociedade em todo o mundo. A brigada foi criada em setembro de 2005 por Fidel Castro", informa o deputado baiano.

Em indicação encaminhada para a presidente do Comitê Norueguês do Nobel, o deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) reforçou seu pedido para que o Contingente Internacional de Médicos Henry Reeve seja o indicado ao prêmio em 2021. O documento foi protocolado na Câmara nesta terça-feira (26) e endereçado à comandante do comitê Berit Reiss-Andersen com a justificativa e com dados da brigada cubana que atua há 15 anos em todo o mundo.

“Faz um trabalho fundamental de cooperação efetiva e auxilia populações vítimas de epidemias, pandemias e cataclismos naturais. Atualmente, são mais de 20 equipes em diferentes países que estão na brava luta contra a covid-19”, justifica o parlamentar. Para Valmir, os médicos cubanos são verdadeiros heróis internacionais inspirados no princípio da solidariedade entre os povos e, por isso, merecem o Prêmio Nobel da Paz.

“Será nossa retribuição à demonstração de amor. Uma contribuição única para a sociedade em todo o mundo. A brigada foi criada em setembro de 2005 por Fidel Castro. Esse contingente já salvou milhares de vidas em países assolados por terremotos, furacões e epidemias em diferentes regiões da África, América Latina, Caribe e Ásia. No Brasil, pudemos ver esse coletivo de perto, na grande contribuição dada ao ‘Programa Mais Médicos’, implantado entre o período de agosto de 2013 a novembro de 2018”, descreve Assunção.

De acordo com o deputado baiano, a presença da brigada de médicos nos países mais afetados por catástrofes revela ainda a importância da união de países para vencer os problemas enfrentados pela humanidade. Valmir completa o documento dizendo que a indicação da Brigada Cubana ao Prêmio Nobel da Paz de 2021 já conta com o apoio de 20 organizações europeias, além de países da África, América Latina, Caribe e América Central. As informações são de assessoria.

Pular para a barra de ferramentas