Jornal da Chapada

#Eleições2022: Jaques Wagner, associado a Lula, ganha 17 pontos e assume a ponta

Lula e Jaques Wagner | FOTO: Reprodução |

A popularidade e o consequente poder de voto do ex-presidente Lula (PT) extrapolam a eleição presidencial de outubro. Um exemplo claro é o que ocorre na Bahia. Com os mesmos candidatos em disputa ao governo, o estado tem dois panoramas completamente distintos, a depender do apoio do petista.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Opnus, encomendada pelo Grupo Metrópole, em um primeiro cenário, ACM Neto (DEM), lidera, com 52% das intenções de voto, seguido por Jaques Wagner (PT), com 29%, João Roma (Republicanos), ministro da Cidadania, com 5%, e Marcos Mendes (PSOL), com 1%.

A situação se inverte completamente, em um segundo cenário, quando a pesquisa atrelou os candidatos aos seus respectivos apoios em âmbito nacional.

Neste caso, com o apoio de Lula (PT), Jaques Wagner salta 17 pontos, chega a 46% e assume a primeira colocação, com boa vantagem. ACM Neto, apoiado por Ciro Gomes (PDT), cai para segundo, com 33%. “A pesquisa mostra que política não é bloco do eu sozinho”, declarou Wagner.

Candidato de Jair Bolsonaro (PL), João Roma continua em terceiro, com 11%, e Marcos Mendes, apoiado por Guilherme Boulos (PSOL), mantém 1%, em quarto.

Após apoio de Lula, Wagner cresce mais entre mulheres e eleitores de baixa escolaridade
Com a citação de Lula, Wagner cresce mais entre mulheres e eleitores com baixa escolaridade, com elevação de 24 pontos percentuais. Em contrapartida, ACM Neto registra perda de 19 pontos entre um cenário e outro. A maior queda acontece entre evangélicos, com diminuição de 24 pontos.

A pesquisa foi realizada entre os dias 19 a 22 de janeiro e foram ouvidas 1.500 pessoas por telefone. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número BA-07451/2022. Redação da Revista Fórum com informações do portal Metro1.

Pular para a barra de ferramentas