Número de motoristas baianos que tiveram o direito de dirigir suspenso cresce 30%

Postado em jul 27 2014 - 3:55pm por Jornal da Chapada
foto

Fiscalização com bafômetro tem ajudado a evitar acidentes | FOTO: Reprodução

Dados do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran-BA) apontam que, no ano passado, 10.144 motoristas baianos tiveram o direito de dirigir suspenso por terem cometido infrações como dirigir sob efeito de álcool. A proporção é de quase um motorista suspenso a cada hora por desrespeitar as normas de trânsito em 2013. Os dados deste ano ainda não foram atualizados pelo órgão. Em comparação com 2012, quando cerca de 7 mil condutores foram punidos, houve cerca de 30% de aumento no número de suspensões. A suspensão do direito de dirigir, que varia entre um e 12 meses, pode ocorrer quando o condutor atinge 20 pontos ou mais no prontuário ou quando comete infrações cuja pena prevista é a própria suspensão, como disputar corrida em via pública.

O crescimento nos últimos dez anos, entre 2004 e 2013, é ainda maior. Neste período, o número de suspensões aumentou em cerca de 805% na Bahia. Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito, o estado registou 1.121 casos em 2003. Este aumento não é apenas um fenômeno local. No Brasil, houve aumento de 91,5% em 2013 em comparação com o ano anterior. Foram 396.641 suspensões em 2013 e 207.128 no ano anterior.

Mais carros
Para o coordenador de acompanhamento de processo de habilitação do Detran, Carlos Fernando de Farias, o aumento na frota de veículos e de motoristas é o principal fator para o consequente aumento de suspensões. A Bahia tem cerca de 2.349.695 de motoristas, 6% a mais em relação a junho de 2013. A frota do estado é de 3.461.302 veículos. “A cada mês, entre 15 e 18 mil motoristas tiram a primeira habilitação”, diz. A coordenação comandada por Farias é responsável pela abertura de processo e julgamento nos casos de suspensão e cassação da carteira de habilitação.

Segundo Farias, o principal motivo que leva os condutores à suspensão é a soma de 20 ou mais pontos no prontuário. Ele explica que muitas vezes isso ocorre por descuido. “Existem casos em que o condutor vende o carro e não faz a comunicação de venda. Então, o motorista que comprou o carro comete a infração, mas a pontuação vai para o antigo dono”, exemplifica. Quanto à cassação, a Bahia registrou nove casos no ano passado e seis em 2012. “A legislação ainda é recente, os órgãos estão se adaptando”, afirma Farias. As informações são do jornal A Tarde.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.