Chapada: Falso dentista é detido no município de Mundo Novo após denúncias

Postado em nov 4 2014 - 8:19pm por Jornal da Chapada
dentista

O presidente do CROBA adverte que somente o cirurgião-dentista é capacitado e autorizado a fazer procedimentos na boca do paciente | FOTO: Reprodução/Ilustração |

Um homem foi detido após ser flagrado atuando ilegalmente como cirurgião-dentista, na cidade de Mundo Novo, a cerca de 300 quilômetros de Salvador, nesta terça-feira (4). De acordo com a delegacia do município, o suspeito trabalhava em uma barbearia, no Centro, onde atendia cerca de três pacientes por dia. Ele foi flagrado na barbearia por fiscais do Conselho Regional de Odontologia da Bahia (Croba) e por policiais militares, após denúncias, e levado para a delegacia da cidade, onde prestou depoimento. De acordo com o coordenador de fiscalizações do Croba, Ramsés Ventura, o homem confessou que atuava como falso dentista há mais de 20 anos. De acordo com ele, o suspeito agia de maneira discreta na cidade, mas foi denunciado após começar a distribuir folhetos divulgando o trabalho.

“Isso foi o que levantou suspeita nos dentistas da região. A informação que a gente recebeu era de que, na verdade, ele era um técnico em próteses dentária, conhecido como protético, mas nem isso foi comprovado, já que ele não possui nenhum registro no Conselho. E mesmo que ele fosse um protético, não poderia lidar diretamente com a boca dos pacientes, já que a função desse profissional é apenas confeccionar próteses”, afirma Ventura.

De acordo com Ventura, o homem utilizava a barbearia para realizar procedimentos menos complexos. No local, os fiscais encontraram, entre outros objetos, uma cadeira odontológica de uso exclusivo de profissionais especializados em cirurgia dentária. “A gente ficou sabendo que os procedimentos mais complexos, como extração dentária, eram realizados em outro local”, destaca Ramsés.

O coordenador de fiscalizações ainda afirma que uma das pessoas que denunciaram o suspeito foi uma dentista da cidade, que afirmou ter recebido um paciente que sofreu hemorragia após extrair um dente com o falso profissional. O homem foi autuado pelo crime de exercício ilegal da profissão. Nesses casos, conforme Ventura, a pena varia de seis meses a dois anos. Ele, no entanto, foi liberado após depoimento e responderá ao processo em liberdade.

Prática ilegal
De acordo com o coordenador de fiscalizações do Conselho Regional de Odontologia, a prática de exercício ilegal da profissão de dentista é comum, sobretudo no interior da Bahia. Desde o início de 2014, 22 casos foram registrados pelo órgão em todo o estado, cinco a mais que no ano passado.

“Eles se aproveitam da falta de conhecimento da população. Além disso, fazem concorrência desleal, já que costumam cobrar mais barato pelos procedimentos e não pagam impostos. Isso também acaba atraindo grande parte das pessoas nas localidades mais afastadas”, afirma Ventura. Segundo ele, a prática ilegal pode colocar em risco a saúde das pessoas. “Os pacientes podem adquirir doenças infecto-contagiosa, como hepatite e AIDS, pela falta de higiene e esterilização adequada. Além disso, procedimentos realizados por pessoas não capacitadas podem ocasionar perdas dentárias e até a morte, em caso de hemorragia”, alerta. Do Portal G1.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.