Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu PrincipalSaúde

Morre o ex-prefeito de Alagoinhas; enterro de Zequinha Azi será nesta segunda

azi
Corpo de Zequinha Azi está sendo velado na Câmara de Alagoinhas | FOTO: Reprodução |

Está sendo velado no plenário da Câmara Municipal de Alagoinhas o corpo do ex-prefeito José da Silva Azi, o Zequinha Azi, 94 anos, que faleceu na tarde deste domingo (9), de morte natural. José Azi teve uma longa história em Alagoinhas, precursor em diversos setores do comércio, da política e grande incentivador de muitos dos atuais empresários da cidade e região. Ele deixa seis filhos, Haroldo Azi – engenheiro e locutor da rádio Nova AM, Jadson, Darlan, Jorge, Luis e Isabel, a esposa Isabel Lima Azi, netos e bisnetos. O sepultamento de José Azi será às 14h desta segunda-feira (10), no Cemitério Jardim da Saudade.

Filho de pai Libanês, Zequinha Azi chegou em Alagoinhas depois da segunda guerra mundial, vindo de Lamarão (BA), onde nasceu em 12 de setembro de 1920, à época distrito de Serrinha. Aqui se implantou, fundou negócios importantes que são sucesso até hoje, dentre eles a Loja Azi, hoje a Loja Barreto, A Pioneira do Lar, Torrefação de Café Verde e Amarelo, criou os cinemas Alagoinhas e Capitólio, além de um terceiro em Santo Amaro, o Subaé. Ele também atuou nas áreas de confecções, gás, automóveis, tratores e foi o fundador da Rádio Nova AM, antiga rádio Emissora de Alagoinhas, a terceira rádio do interior da Bahia.

“Ele foi um revolucionário no comércio de Alagoinhas”, disse o filho Haroldo Azi. Zequinha Azi foi membro da Associação Comercial e Industrial de Alagoinhas e, em 1985 recebeu o título de Cidadão alagoinhense. Mas foi na política que José Azi encontrou um longo caminho. Foi prefeito pelo PR de abril de 1959 a abril de 1963, deputado estadual pelo PTB de 1963 a 1967 e vereador de Alagoinhas pela Arena de 1971 a 1973 e de 1973 a 1976, chegando a ser presidente da Câmara Municipal. Um de seus atos mais polêmicos foi o impeachment do então prefeito Judélio de Souza Carmo, na década de 1970.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios