Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEducaçãoMenu Principal

Reunião discute inclusão do xadrez como disciplina no ensino público

alvaro
Dirigentes da Federação Baiana de Xadrez com o secretário Álvaro Gomes | FOTO: Marcelo Reis |

A prática do xadrez como disciplina regular no ensino público da Bahia foi defendida pelos diretores da Federação Baiana de Xadrez em visita ao secretário estadual do Trabalho e Esporte, Álvaro Gomes, na quarta-feira (11). “O xadrez tem sido cada vez mais empregado em atividades educacionais com o objetivo de aprimorar atitudes, habilidades e competências inerentes ao processo ensino-aprendizagem”, afirma o presidente da federação, Wilter Vieira, que estava acompanhado do diretor e jornalista Paixão Barbosa.

Segundo os dirigentes esportivos, o xadrez pode promover o aprimoramento da conduta ética, da socialização, bem como a formação do caráter do aluno, tendo em vista que o crescimento do aprendiz apenas é possível pelo seu próprio mérito e vontade disciplinada. “Em classes de baixo rendimento escolar, o xadrez pode ajudar os jovens a serem mais seguros de si mesmos, pois encontram oportunidade de descobrir um meio em que podem sobressair-se, obtendo em consequência uma melhoria em outras matérias”, acrescenta Wilter Vieira.

Projeto de Lei
Em 2003, o atual titular da Setre, Álvaro Gomes, apresentou na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) o projeto de lei nº 13621, “que estabelece a obrigatoriedade da inclusão do jogo de Xadrez nas atividades escolares em todas unidades da rede estadual de ensino”.

Segundo o secretário, a lei não foi aprovada, mas a proposta continua alvo de sua atenção como gestor. “Nas próximas reuniões do Pacto pela Educação, vou levar a proposta para que a prática desse esporte seja implantada de forma organizada e sistematizada no ambiente escolar da rede estadual de ensino”.

Wilter Vieira e Paixão Barbosa disseram ainda que a proposta de inclusão do xadrez como disciplina já foi apresentada à Secretaria de Educação do Estado, que ficou de realizar um estudo a este respeito. De acordo com eles, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná já adotaram o xadrez como disciplina.

Competição
Durante a audiência, a Federação Bahiana de Xadrez também apresentou à Setre o projeto para realização do ‘I Aberto do Brasil – Independência da Bahia’, a ser realizado entre os dias 1º e 5 de julho, em Salvador, com o objetivo de marcar a passagem do 2 de julho, data em que se comemora a Independência da Bahia. Pela programação, o evento contempla a realização de uma ‘partida simultânea’ de xadrez com um mestre internacional enfrentando enxadristas jovens que estudam em escolas estaduais e do município de Salvador.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios