Municípios reduzem gastos em até 40% e São João será mais modesto

Postado em maio 28 2015 - 11:10pm por Jornal da Chapada
foto

A crise financeira que assola o país também atingiu uma das maiores festas populares do Nordeste: o São João | FOTO: Reprodução |

A crise financeira que assola o país também atingiu uma das maiores festas populares do Nordeste: o São João. Com a arrecadação baixa e a pouca quantidade de patrocinadores para bancar a festa, as prefeituras de cidades do interior da Bahia, para não deixar a tradição de lado, tem optado por realizar os festejos utilizando um menor orçamento se comparado com o ano passado. Alguns municípios diminuíram o investimento em até 40%.

“É um momento difícil, mas afirmamos que vamos ter um São João bem bonito, com toda uma ornamentação e onde a cidade sempre está envolvida. Afinal, a festa aqui tem uma tradição muito forte”, disse a prefeita da cidade de Amargosa – cidade que fica a 235 km de Salvador –, Karina Silva (PSB). Segundo ela, o investimento diminuiu em torno de 30%, em relação ao mesmo período de 2014, assim como a quantidade de dias em que a festa será realizada: de seis, para cinco.

“Ano passado começamos no dia 19 de junho, com as grandes atrações, no dia em que também celebramos o aniversário da cidade. Em 2015, os festejos começam no dia 20 e vão até dia 24”, contou. A maior parte do investimento na festa será feita com recursos públicos, mas a gestora garantiu que parcerias com uma cervejaria, o Senac e uma empresa de TV por assinatura vão ajudar a pagar a conta esse ano.

Ainda há a expectativa de que mais de 100 mil pessoas passem o São João na cidade para curtir atrações como Zezé di Carmargo e Luciano, Wesley Safadão, Adelmário Coelho, dentre outros. “Os artistas que aqui vão tocar cabem dentro do nosso orçamento. Além disso, estamos no aguardo de mais patrocínios junto a Petrobrás e o Governo do Estado”, salientou.

Outra cidade que vai realizar os festejos, mesmo com o orçamento menor, será a cidade de Riachão do Jacuípe, que fica na região de Serrinha e está distante cerca de 190 km da capital baiana. Segundo a assessoria de comunicação do município, a realidade esse ano será diferente por que, além da atual crise financeira, a festa realizada no ano passado deixou marcas profundas no orçamento anual, já que alguns pagamentos acabaram ficando atrasados.

40% menor, a maior parte do investimento virá, mesmo assim, dos recursos do próprio município. A expectativa é de que sejam realizadas parcerias com cervejarias e também o Governo. Ao todo, também serão cinco dias de festa na cidade. “Vamos fazer uma festa dentro das nossas condições e estamos realizando nosso terceiro São João. Vale lembrar que não somos apenas nós que estamos passando por isso, e sim todo o país”, destacou a prefeita, Tânia Matos (PDT).

Em Cruz das Almas,
Também com uma festa junina bastante tradicional, a cidade de Cruz das Almas – distante cerca de 150 km de Salvador –, conhecida, durante alguns anos, por conta das guerras de espada, também terá festejos mais modestos em 2015. Apesar dos patrocínios de uma cervejaria e da Caixa Econômica, o número de parceiros, assim como o valor disponibilizado, este ano, é menor do que o que foi registrado em 2014, segundo a assessoria de comunicação do município.

As atrações foram divulgadas apenas no último dia 21. “Com a essa demora, nós perdemos a oportunidade de contratar mais atrações. Apesar disso, o prefeito ainda busca mais apoios para fazer a festa, apesar de saber que tudo será feito com pés no chão”, disseram, sem informar de quanto foi à queda no orçamento para os festejos desse ano. Quem for até a cidade, vai conferir atrações como Paula Fernandes, Estakazero, Flávio José e Calcinha Preta, durante os seis dias do São João.

MP e TCM estão de olho nos “gastadores”
Mesmo com muitas cidades se esforçando para realizar a festa com um orçamento menor, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) e o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA) estão de olho em outros gestores pelo estado para evitar gastos elevados com o São João. A situação que chama a atenção é a da cidade de Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano, que vai realizar seis dias de festa. No entanto, apenas cinco das atrações previstas vão custar algo próximo a R$ 700 mil.

No final do mês de abril, o coordenador do Núcleo de Investigação dos Crimes Atribuídos a Prefeitos (CAP) do MP, promotor Faustino de Almeida, disse, ao Bahia Notícias, que o foco não é proibir a festa, mas que elas aconteçam dentro da legalidade. “Enquanto alguns municípios, às vezes, contratam artistas, bandas e atrações por valores exorbitantes, os serviços essenciais à população, como saúde e educação, ficam carentes”, criticou.

Outros municípios já foram punidos pelo TCM por conta de irregularidades com os gastos no São João. Em setembro de 2014, o prefeito de Itaberaba, João Almeida Mascarenhas Filho (PP), foi multado em R$ 21 mil por contratar irregularmente artistas e gastar pouco mais de R$ 420 mil com a festa em plena época de estiagem. Ele também foi punido pelo mesmo motivo em 2013, por gastar R$ 390 mil.

Também ano passado, a prefeita de Porto Seguro, Cláudia Silva Oliveira (PSD) foi multada em R$ 15 mil por conta de irregularidades constatadas em procedimentos licitatórios executadas para a realização da festa, que custou mais de R$ 2 milhões. Segundo o TCM, o gasto representou 16% do total da receita arrecadada no mês de junho. De acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal, os dois órgãos vêm, a cada ano, intensificando as ações em conjunto na tentativa de acompanhar os gastos das prefeituras e ficar atentos aos excessos cometidos. Extraído na íntegra do jornal Tribuna da Bahia.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.