Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

Cobranças de pedágios podem ser alteradas na Bahia; projeto segue da Câmara de Salvador para o Estado

pedagio
A iniciativa sofre resistência das concessionárias, mas já ganha adesão de pequenos e microempreendedores, além de profissionais liberais que constantemente estão fazendo viagens de pequena escala nas rodovias baianas | FOTO: Reprodução |

Foi aprovado na Câmara de Salvador o projeto (PIN nº. 42/2015) que indica ao governador Rui Costa (PT) alteração na cobrança de pedágios na Bahia. A proposta é a de que os usuários possam ser isentados do duplo pagamento ao percorrerem entre um trecho ou outro de uma rodovia, geridos pelas diferentes concessionárias, num intervalo de tempo de até duas horas. “A intenção é reduzir os impactos das taxas ao cidadão que faz pequenos deslocamentos entre cidades interligadas por atividades logísticas de constante movimentação. Além disso, há a possibilidade de o usuário não ser taxado mais de uma vez numa viagem de curta duração, como ainda ocorre em toda a Bahia”, explica o autor do projeto, vereador Luiz Carlos Suíca (PT).

Mesmo ponderando sobre a importância das operadoras na conservação das vias, o líder da bancada de oposição endurece o discurso sobre a aplicação do projeto. “Não posso desconsiderar o momento de crise econômica que o país tem enfrentado. Os preços afetam diretamente o bolso do cidadão, sobretudo pelos valores de inflação repassados em combustíveis e impostos para veículos. Indicamos medidas ao governador e iremos cobrar do poder público ações de equilíbrio nessa balança”, frisa o edil petista. Quanto à adequação das possíveis normas a serem adotadas, o vereador sugere “que sejam feitas reuniões entre membros das concessionárias e representantes públicos, designados pelo Governo do Estado, para definição de critérios”.

A iniciativa sofre resistência das concessionárias, mas já ganha adesão de pequenos e microempreendedores, além de profissionais liberais que constantemente estão fazendo viagens de pequena escala nas rodovias baianas. Quem avalia a proposta é a dentista Danielle Cerqueira Correia, que mora e administra seu consultório em Feira de Santana, trabalha em Conceição de Feira e, frequentemente, se desloca à capital baiana. “Os valores do pedágio deveriam ser melhor estabelecidos com base nas diferentes realidades de cada um de nós. Eu não me desloco unicamente para opção de lazer. Geralmente é por necessidades imediatas. Mas, já paguei duas vezes só para ir e outras duas taxas para voltar de Salvador, no mesmo dia”, critica a odontóloga.

Esse ano, iniciativas de redução de custos aos usuários que trafegam pelas vias baianas já foram exaustivamente travadas junto às concessionárias que operam o serviço de manutenção em todo o estado. Os períodos de feriados prolongados e festejos de fim de ano e o junino (São João, etc) são os que mais apresentam reclamações dos usuários. Na ‘Semana Santa’, em abril, manifestantes travaram as vias que ligam Vilas de Abrantes à Arembepe, no município de Camaçari, e fizeram protestos boicotando o pagamento de taxas nas cabines e bloqueando o acesso aos principais pontos que interligam a Região Metropolitana de Salvador. Os valores cobrados e congestionamentos nas filas de pedágio foram as principais queixas nos protestos.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios