Bahia: Jorge Portugal debate desafios da gestão cultural durante fórum em Pintadas

Postado em dez 15 2015 - 6:56am por Jornal da Chapada
foto5

Fórum de cultura aconteceu no último domingo | FOTO: Rosilda Cruz |

No último domingo (13), o secretário de Cultura do estado da Bahia, Jorge Portugal, participou do fórum Sistemas Municipais de Cultura – Os desafios da gestão cultural, realizado no município de Pintadas. O encontro, que fez parte da programação do 1º Festival de Música Canto do Jacuípe, foi realizado pelo Consórcio Jacuípe em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e reuniu gestores, produtores culturais, artistas e comunidade de Pintadas e região. A mesa foi composta pela deputada estadual, Neusa Cadore; pelo superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura da SecultBA, Sandro Magalhães; pelo secretário executivo do Consórcio, Valcir Rios; e pelo coordenador do GT de Cultura do território Bacía do Jacuípe, Valdir Rocha.

O Consórcio Público de Desenvolvimento Sustentável do Território Bacia do Jacuípe, fundado em 2011, é fruto de um processo de articulação para o desenvolvimento de política territorial nos 14 municípios do Território Bacia do Jacuípe – Baixa Grande, Capela do Alto Alegre, Ipirá, Mairí, Gavião, Pé de Serra, São José do Jacuípe, Serra Preta, Várzea da Roça, Várzea do Poço, Nova Fátima, Pintadas, Quixabeira e Riachão do Jacuípe. O secretário destacou a importância da criação de consórcios em outros territórios da Bahia e comemorou: “O Festival Canto do Jacuípe configura um marco: é a primeira vez na área da cultura que estamos celebrando uma parceria com um consórcio. Tudo que fiz em minha vida fiz com parceiros. É certo que existe mais força quando há união para um bem comum”, afirmou.

Sandro Magalhães enfatizou que a gestão compartilhada é uma alternativa para solucionar eventuais questões por meio de políticas e ações conjuntas. “Podemos comemorar hoje alguns números: 84% de municípios na Bahia possuem órgãos de cultura e já estão formados 86 GTs de cultura, muitos desses em municípios da Bacia do Jacuípe. No entanto, ainda estamos trabalhando para convencer os municípios a pensarem uma política de cultura sólida como vetor de desenvolvimento, instituindo os seus Sistemas Municipais de Cultura”, reforçou.

O debate teve diversas pautas levantadas pelo público, entre elas, a ampliação de recursos para o Fundo de Cultura do Estado e do Fazcultura e a elaboração de um edital voltado para consórcios de municípios. Para o assessor legislativo, José Inácio, a sociedade precisa cobrar dos próximos candidatos ao executivo e legislativo municipais a inserção da cultura na pauta de intenções. “Mais do que realizar obras, é preciso que os gestores considerem como prioridade cuidar de gente, e o fortalecimento da área da cultura só tem a contribuir. Veremos que o resultado só poderá ser positivo, resultando, por exemplo, na diminuição da violência e criando melhores perspectivas para a vida das pessoas”, explicou.

Festival Canto do Jacuípe
O Festival foi realizado em Pintadas, no território de identidade Bacia do Jacuípe nos dias 12 e 13, e promoveu a produção musical de municípios da região, visando potencializar, desenvolver e difundir o ciclo produtivo e criativo da musicalidade do Território em toda a sua diversidade. “No consórcio, identificamos que um festival de música agregaria os municípios, pois é uma demanda gritante já que a música é uma atividade muito forte na região. A proposta é fazer o evento circular, realizando-o a cada ano em uma cidade diferente do território”, explicou o coordenador do Festival, Rubens França.

O evento reuniu compositores, intérpretes músicos, artistas, estudiosos da cultura, escritores e mestres populares da microrregião através da promoção, fomento e valorização de suas criações e produções. Foram apresentadas músicas inéditas com uma roupagem popular, visando potencializar os movimentos artístico/culturais, além de promover o debate sobre valores e saberes da cultura popular e formação de público e viabilidades para a autossustentabilidade. A programação contemplou também a fruição e a comercialização de produtos e serviços da economia criativa e solidaria da cultura, sorteio para definir a ordem de apresentação dos candidatos e as apresentações das etapas eliminatória e final do Festival. As informações são da SecultBA.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.