Chapada: Encerramento do Festival de Lençóis com o Baile do Bem leva multidão ao delírio

Postado em out 16 2016 - 12:44pm por Jornal da Chapada
foto67

A homenagem a Tim Maia e Jorge Benjor no projeto Baile do Bem contou com Sandra de Sá, Serjão Loroza e Negra Li | FOTO: Divulgação/Caiã Pires |

Sandra de Sá, Negra Li e Serjão Loroza transformaram a Praça Horácio de Matos em um gigantesco Baile do Bem, na noite de sábado (15), no encerramento da 18ª edição do Festival de Lençóis, na Chapada Diamantina. O evento também foi contagiado pela voz da cantora baiana Ju Moraes, que fez milhares de pessoas caírem no samba. Como aconteceu todos os dias do festival, o último dia contou com a apresentação das bandas locais Zion e Família Grãos de Luz e Griô. A homenagem a Tim Maia e Jorge Benjor no projeto Baile do Bem deixou o público extasiado com o resgate de clássicos destes grandes artistas do samba-rock e soul.

Soltando a voz juntos ou em solo, o trio Sandra de Sá, Serjão Loroza e Negra Li promoveu momentos incríveis com as músicas Acende o farol, Fio maravilha, Chove chuva, Ive Brussel, Primavera, Descobridor dos sete mares e Vale tudo. No clima apoteótico, eles encerram a apresentação com Thaj Mahal e Do Leme ao Pontal. O samba, que foi destaque nesta edição do Festival de Lençóis, também balançou a praça na voz de Ju Moraes. A cantora baiana apostou num repertório autoral e recheado e sucessos da MPB, como Aquarela, Dono da dor, Samba da minha terra, Mundo distante e Mel pra minha dor.

ju

Ju Moraes leva samba de qualidade para a Chapada Diamantina | FOTO: Divulgação/Caiã Pires |

Durante três dias, o Festival de Lençóis atraiu milhares de pessoas, entre moradores da cidade e da região e turistas, que foram desfrutar das cachoeiras da Chapada da Diamantina. Além dos shows no palco principal, o Festival de Lençóis contou com a exposição e lançamento do livro Unidades de Conservação da Bahia, produzido pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente, com belas imagens dos fotógrafos Rui Rezende e Sérgio Cedraz e texto do cordelista Kitute. Durante o evento também foi realizado a campanha Bahia sem Fogo, que promove o combate aos incêndios na Chapada da Diamantina.

“São 18 anos de sucesso do festival mais antigo do interior Bahia. Muito mais do que as atrações, ele se mantém pela beleza da Chapada Diamantina, que, na verdade, é a grande atração do evento. É importante também dizer que o festival também fomenta a economia local, além de divulgar a histórica cidade de Lençóis”, comenta Paula Resende, diretora da Pau Viola Produções, idealizadora do evento. As informações são de assessoria.

Confira mais imagens:

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.