Prioridades do território da Chapada Diamantina são debatidas durante plenária do PPA 2020-2023 em Seabra

Postado em mar 19 2019 - 4:30pm por Jornal da Chapada

Para o diretor de Turismo do município de Piatã, Raymundo Mazzei, as escutas aproximam do governo aqueles municípios que estão fisicamente distantes da sede administrativa | FOTO: Divulgação/Seplan |

Representantes dos segmentos institucionais, produtivos, sociais e econômicos dos territórios Chapada Diamantina, Sertão do São Francisco e Piemonte Norte do Itapicuru definiram as áreas prioritárias para a execução das políticas públicas do Governo do Estado, nesta terça-feira (19), durante as escutas territoriais. As atividades, realizadas durante todo o dia, nos municípios de Seabra (Chapada Diamantina), Juazeiro e Senhor do Bonfim, irão subsidiar a elaboração do Plano Plurianual Participativo (2020-2023).

Para o diretor de Turismo do município de Piatã, Raymundo Mazzei, as escutas aproximam do governo aqueles municípios que estão fisicamente distantes da sede administrativa. Dentre as prioridades para o território, Mazzei destaca uma maior abrangência do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a necessidade de uma política de sustentabilidade no uso dos recursos hídricos.

Marilda Miedema, representante da Sociedade Brasileira de Geologia (SBG), defende a criação de geoparques como forma sustentável de gestão. “O Território da Chapada Diamantina hoje tem dois geoparques instaurados, o Morro do Chapéu e o Serra do Sincorá, uma proposta, que é o Alto Rio de Contas, que já houve um inventário geológico feito pelo Serviço Geológico do Brasil e temos ainda mais outras quatro propostas no estado da Bahia, inclusive o Grutas de Iraquara é uma proposta que está para ser definida. O geoparque aborda não só a questão da conservação do patrimônio geológico, mas as questões turísticas e, principalmente, a geração de renda para as comunidades locais”, explica.

O processo de escuta territorial, que iniciou em 12 de fevereiro, já foi realizado nos territórios do Extremo Sul, Médio Sudoeste, Costa do Descobrimento, Baixo Sul, Sudoeste Baiano, Médio Rio de Contas, Bacia do Rio Corrente, Vale do Jiquiriçá, Velho Chico, Sertão Produtivo, Bacia do Rio Corrente, Litoral Norte e Agreste Baiano, Itaparica, Sisal, Portal do Sertão, Metropolitano de Salvador e Semiárido Nordeste II. A atividade é coordenada pelas Secretarias Estuais do Planejamento (Seplan) e de Relações Institucionais (Serin)realizada em todos os 27 territórios de identidade até o final do mês de março.

O Território de Identidade é a unidade de planejamento de políticas públicas do Estado da Bahia. Os territórios são constituídos por agrupamentos identitários municipais formados de acordo com critérios sociais, culturais, econômicos e geográficos, reconhecidos pela sua população como espaço historicamente construídos ao qual pertencem, com identidade que amplia as possibilidades de coesão social e territorial. As informações são da Seplan.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.