CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

Petistas reforçam pedido de liberdade de Lula e dizem que são “500 dias de injustiça”

O deputado federal Valmir Assunção e as candidatas ao PT da Bahia e de Salvador, Lucinha do MST e Dani Ferreira, respectivamente | FOTOS: Jonas Santos |

Petistas da Bahia se pronunciaram sobre os 500 dias de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva completados nesta terça-feira (20) e cobraram a liberdade e a anulação do processo dele. O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) e as candidatas às presidências do PT na Bahia e em Salvador, Vera Lúcia Barbosa (Lucinha do MST) e Danielle Ferreira, respectivamente, consideraram o dia como um marco na luta por direitos e intitularam a data de “500 dias de injustiça”. “Lula está sendo injustiçado. Todo mundo sabe disso – tanto dentro quanto fora do país. Mensagens vazadas apontam para o conluio do procurador Deltan Dallagnol e do então juiz Sérgio Moro – que rompeu com o processo legal e tirou Lula do pleito. Esperamos que o STF [Supremo Tribunal Federal] faça justiça e anule esse processo”, diz Valmir.

Em pronunciamento na Câmara, o parlamentar salienta que o país vive momentos de insegurança jurídica e pede respeito às instituições. “Diante da situação, é visível que parte do Poder Judiciário tem posição política sobre a prisão de Lula. Logo o poder que tem de zelar pela Constituição. Digo isso porque essa Casa aqui já rasgou a Carta Magna quando deu o golpe e tirou a presidenta Dilma e, por outro lado, também não se importou com a constituição quando tirou direitos da classe trabalhadora com as aprovações das reformas Trabalhista e da Previdência. Sem contar o número de anúncios sobre privatizações, que é assustador”, informa. Assunção detalha dado da reforma da Previdência e aponta que o governo Bolsonaro, inicialmente, disse aos deputados que iria retirar a capitalização, mas agora a capitalização vai para votação na Câmara.

Valmir trata o processo de Lula como “armação para tirar o ex-presidente da disputa eleitoral” e que o atual governo implantou um sistema para fragilizar e desmoralizar os trabalhadores e as organizações sociais. “Atacar o presidente Lula é atacar o povo pobre que luta diariamente e que teve oportunidade pela primeira vez neste país. Para a candidata à Presidência do PT de Salvador, Dani Ferreira, o julgamento e a sentença foram injustos. “Os fatos comprovados pelo site Intercept, via #VazaJato, demonstram que todo o processo está corroído por irregularidades e estamos assistindo a 500 dias o nosso presidente ser mantido numa condição de sequestro por crimes que ele não cometeu”.

A ex-secretária da Políticas para Mulheres (SPM) e de Promoção da Igualdade Racial, Lucinha do MST, que disputa a Presidência do PT estadual, explica que parte do judiciário brasileiro está corrompido em suas ações e que não dará respostas a essa injustiça contra Lula. “É por isso que precisamos organizar o povo, pois é só com o povo na rua que seremos capazes de libertar Lula. São 500 dias de lutas, 500 dias sem Lula, 500 dias em que vemos o país se afundar em processos antidemocráticos. Isso é muito grave para esse povo que luta e sonha com dias melhores”, completa.

Etiquetas
Mostrar mais

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Pular para a barra de ferramentas