CidadesCuriosidadesMenu PrincipalMundo

#Polêmica: Bolsonaro afirma que Dória ‘mamou’ nos governos petistas; governador rebate

“Não vou entrar nessa polêmica”, disse Dória | FOTO: Reprodução/VEJA |

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), estão em pé de guerra. Tudo começou na noite da última quinta-feira (29), quando Bolsonaro disse que enquanto Dória estava “mamando” nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff a bandeira era vermelha e que hoje ele diz que “a bandeira dele jamais será vermelha”.

“João Dória comprou também [jatinho]. Explica isso aí. Só peixe. Amigão da Dilma e do Lula. Eu vejo o Dória falando de vez em quando: ‘minha bandeira jamais será vermelha’. É brincadeira. Quando ele tava mamando lá, a bandeira era vermelha com foiçasso e martelo sem problema nenhum”, disse Bolsonaro, durante transmissão ao vivo nas suas redes sociais, quando também atacou o apresentador Luciano Huck sobre a compra de um jato executivo a juros subsidiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O governador de São Paulo financiou, por meio da Doria Administração de Bens, uma aeronave de R$ 44 milhões em 2010. Ele negou que tenha “mamado nas tetas do BNDES” como afirmou Bolsonaro. “Nunca precisei mamar em teta nenhuma”, disse ao jornal Folha de S.Paulo. Em viagem à Alemanha, onde irá se encontrar com representantes de montadoras sobre possíveis investimentos na região do ABC, o tucano colocou panos quentes na declaração do presidente.

“Não vou entrar nessa polêmica”, disse Dória. “Essa informação já era pública. Já tínhamos comprado, assim como o Luciano Huck, e não tinha nenhuma caixa preta”. Doria, agora, é considerado um potencial adversário de Bolsonaro nas eleições de 2022. Recentemente, o governador chegou a afirmar que não nomearia um filho para uma embaixada quando questionado sobre a nomeação de Eduardo Bolsonaro para representar o Brasil nos Estados Unidos.

Nesta sexta (30), Dória afirmou que o momento não é de antecipar a campanha e preferiu não continuar os ataques ao presidente. O tucano negou qualquer associação com o PT e voltou a atacar os ex-presidentes petistas. “Quero Lula e Dilma distantes, se possível do Brasil, até. Que fiquem onde estão, Lula na prisão e Dilma no ostracismo”, disse. Jornal da Chapada com informações do jornal O Globo.

Etiquetas
Mostrar mais

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Pular para a barra de ferramentas