Jornal da Chapada

#Mucugê: Prefeita rebate acusações de perseguição e diz que casas foram construídas ilegalmente em área de preservação

A gestora 'Dona Ana' aponta que "a derrubada de ‘barracos’, no terreno invadido, foi realizada dentro das normas e que as pessoas já haviam sido notificadas pelas irregularidades".

Em plena pandemia famílias inteiras podem ficar sem um teto no município de Mucugê, na Chapada Diamantina. No entanto, não é bem assim. Conforme a prefeita Ana Medrado (DEM), a popular ‘Dona Ana’, a área onde estão as construções é de preservação ambiental. Portanto, as edificações são irregulares. A notícia de que a prefeitura estaria derrubando casas repercutiu amplamente e a prefeita repudiou o caso e afirmou que a maioria, se não todos, já possuem casas próprias (veja aqui a primeira matéria).

Em contato com a redação do jornal, a gestora aponta que “a derrubada de ‘barracos’, no terreno invadido foi realizada dentro das normas e que as pessoas já haviam sido notificadas pelas irregularidades. Ali é área de preservação ambiental, não pode ter construção e edificações. Invadiram e só tem pessoas que têm até três terrenos e têm casa própria, pessoas que têm passagem pela polícia. Foi conversado com as autoridades e não podíamos deixar. Cometeram crime ambiental nas duas entradas da cidade, uma delas é área tombada pelo Iphan [Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional]”, descreve a prefeita ‘Dona Ana’.

A chefe do executivo municipal ainda informa que aconteceu de apenas uma pessoa ter construído três “barracos” e a intenção seria a negociação e venda. “Para ter uma noção, apenas uma pessoa fez três barracos. Eles cometeram crime ambiental, perfuraram canos da água que abastece a cidade. Isso do lado da caixa d’água, na entrada da cidade. Outras duas pessoas já estavam cercando para fazer junto da igreja Santa Izabel, que é área protegida pelo Iphan, onde é proibido edificação. Entraram para negociar, fazer casa e venda de terrenos. Construíram barracos para ter posse. Foram ações que não tinham jeito de fazer. Senão eu que ia sofrer uma improbidade administrativa”, ressalta.

‘Dona Ana’ lembra que o município chapadeiro é tombado pelo seu conjunto arquitetônico e paisagístico, especialmente, desde a década de 80. A cidade é uma das mais antigas da Chapada Diamantina e se destacou como um dos principais centros de exploração de ouro e de diamantes. “Mucugê é tombada por patrimônio histórico e paisagístico. Jamais derrubaríamos sem fundamento e se estivesse regular, porque temos responsabilidade”, finaliza a prefeita democrata.

Jornal da Chapada

Leia também

#Chapada: Casas são derrubadas pela prefeitura de Mucugê e cenas indignam moradores; veja os vídeos

Pular para a barra de ferramentas