Mário Negromonte intermediou contrato entre doleiro e empresa, diz Veja

mário

Conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM), Mário Negromonte (PP) | FOTO: Divulgação |

O conselheiro do Tribunal de Contas do Município (TCM), Mário Negromonte (PP), teria intermediado o contrato entre o doleiro Alberto Youssef e proprietários da empresa Controle, da cidade de Goiânia, em Goiás, no ano de 2011, quando ainda era ministro das Cidades.

Segundo reportagem da revista Veja, Negromonte, que fazia parte do comando nacional do PP, avisou ao doleiro que o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) iria editar uma portaria que obrigava montadoras a instalar sistemas de localização em todos os carros e indicou a Youssef que a empresa goiana, com certificação para instalar o monitoramento, passava por dificuldades financeiras. Yousseff teria encarregado a contadora Meire Poza para viabilizar o investimento de R$ 3 milhões na empresa Controle.

“O Negromonte chamou o Beto (Youssef) e disse que tinha uma empresa que tinha a licença do Denatran, só que estava quase quebrada: ‘Vai lá e compra que nós estamos com o negócio na mão’”, relatou Meire. Negromonte, que admitiu conhecer o doleiro, garantiu à revista que nunca ouviu falar da Controle nem de seus sócios. Extraído do site Política Livre.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.