AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

MST realiza encontro estadual em Feira de Santana entre os dias 15 e 18 de janeiro

dep
O deputado federal Valmir Assunção durante encontro territorial do MST em Paulo Afonso | FOTO: Divulgação |

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realiza, entre os dias 15 e 18 de janeiro, um encontro estadual para debater novas ações para 2015 e apresentar o balanço das atividades do ano de 2014. Como prévia do encontro, que acontece na Universidade Estadual de Feira de Santana, o MST também organizou plenárias territoriais para levar mais demandas das diferentes regiões de atuação na Bahia. O deputado federal e membro do MST, Valmir Assunção (PT-BA), esteve nas reuniões deste final de semana em Juazeiro e Paulo Afonso para ampliar as discussões de luta pela terra, apresentando projetos em tramitação na Câmara e refletindo sobre os desafios deste ano.

“Esses encontros territoriais do MST foram de avaliações e planejamentos para 2015, mas também fizemos uma análise da atual conjuntura política nacional e estadual, com as vitórias de Rui Costa [governador da Bahia] e Dilma Rousseff [presidente do Brasil]. A ideia é manter os diálogos e participar das gestões, opinando e assegurando o desenvolvimento de políticas públicas que avance a reforma agrária no país e no estado”, aponta Valmir. O encontro estadual em Feira de Santana esta semana também vai eleger a nova direção do movimento na Bahia.

De acordo com o parlamentar petista, a Bahia avançou em desapropriação de terras, mas ainda existem inúmeras lacunas a serem preenchidas referentes à reforma agrária. Assunção também aponta que é preciso mais infraestrutura e recursos para projetos, o que considera importante para a geração de emprego e renda. Em sua passagem pelos municípios baianos, Valmir também lembrou de projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados que tratam da reforma agrária. “Estamos aguardando a análise para este ano da proposta que prevê prioridade ao governo na aquisição de terras adquiridas por bancos, públicos ou privados, que foram tomadas como pagamento de dívidas”, completa.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
Pular para a barra de ferramentas