Governo acelera ações para garantir água em zonas rurais da Bahia

Postado em maio 17 2015 - 10:12am por Jornal da Chapada
agua

Com água, as pessoas do campo podem ter renda maior por meio de uma transição agroecológica | FOTO: Reprodução/Codevasf |

Com a presença de 24 entidades implementadoras de tecnologias sociais para acesso à água de consumo e produção, além de gestores de órgãos estaduais e federais, uma reunião técnica para viabilizar a ampliação de oferta hídrica nas áreas rurais da Bahia foi aberta, nesta sexta-feira (15), no auditório da Secretaria da Educação, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

O secretário de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, destacou que o tema ‘Água para Produção’ é fundamental e que a perspectiva do Governo do Estado é que as pessoas do campo possam ter renda maior por meio de uma transição agroecológica. “O tema da renda é estratégico, e nosso enfoque é na perspectiva da produção, numa forte relação com a assistência técnica e de trabalho com a pesquisa aplicada”.

Para o diretor-executivo da Companhia de Desenvolvimento e Ação regional (CAR), vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Wilson Dias, é imprescindível aliar assistência técnica, agroindústria e comercialização para que as comunidades tenham resultados efetivos. “Na Bahia, temos quase 60 mil tecnologias. Queremos chegar a ter mais de 300 mil para melhorar as condições das famílias lidar com o semiárido”.

Universalização do acesso à água
Segundo o coordenador nacional do programa de cisternas da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar, do Ministério de Desenvolvimento Social, Carlos Cleber Soares, os recursos para a implementação das tecnologias estão garantidos. “Queremos repassar esses recursos para atender este público. Temos para implantar 14 mil cisternas para consumo e 13 mil destinadas à produção”.

A coordenadora de Água para Produção da SDR, Kamilla Santos, destacou que a reunião representa uma retomada do programa ‘Água para Produção’, em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), para a construção de 11.761 tecnologias sociais destinadas à produção e/ou dessedentação animal. “Essa linha de ação dos governos federal e estadual traz um impacto para a melhoria de vida das famílias que vivem no semiárido”.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.