CidadesCuriosidadesMenu Principal

Feira de livros movimenta o Museu de Arte Moderna em Salvador

foto
Neste sábado, as oficinas começam cedinho | FOTO: Reprodução/Maurício Serra |

O segundo dia da Primavera da Libre levou crianças, jovens e adultos para o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), que participaram de oficinas, mesas de debates e outras atividades promovidas pela feira de livros que acontece pela primeira em Salvador. Neste sábado, as oficinas começam cedinho. Às 10h tem a oficina “Para pensar ilustrações de livros”, com Vanessa Rosa. A oficina tem vagas limitadas e ocorrem por ordem de chegada, para o público a partir dos 14 anos. Às 15h, Vanessa Rosa também irá ministrar “Azulejos imaginários”, uma interpretação dos tradicionais azulejos portugueses através de pintura e novas tecnologias, como o corte a laser.

Nesta sexta as atividades tiveram início às 10h, com a Mesa sobre formação de leitor e diversidade na literatura infanto-juvenil, reunindo os escritores José de Jesus Barreto, autor de títulos como Pastinha – O Menino Que Virou Mestre de Capoeira, entre outros; Narcimária Correia do Patrocínio Luz, que desenvolve estudos e pesquisas na área de Educação com ênfase na ancestralidade africano-brasileira; e Giselly Lima de Moraes, professora que desenvolve projetos de formação de leitores. Também às 10h aconteceu a Oficina Leitura de poesia com Luis Maffei.

Às 15h foi a vez do público conferir a oficina de Mini livros artesanais, com Flavia Bonfim. Em seguida aconteceu a segunda Mesa desta sexta, sobre Literatura urbana e contemporânea, reuniu o escritor e roteirista Victor Mascarenhas autor de “Cafeína”, livro de contos vencedor do Prêmio Braskem Cultura e Arte; Gil Veloso, que lança mais tarde o livro “Um viaduto chamado Minhocão”; e James Martins, poeta, criador e organizador do Pós-Lida, recital de poesia e alguma prosa.

foto
A Primavera da Libre ganha edição inédita em Salvador reunindo 38 editoras associadas | FOTO: Reprodução |

A Mesa das 17h teve como tema Literatura e outras artes e reuniu Camila Perlingeiro, editora do Mundo Ovo – site que traz um novo olhar sobre a aventura da maternidade – e da Pinakotheke, galeria de arte e editora comprometida com a difusão da arte brasileira; Sonia Rangel, artista visual e cênica, pesquisadora de Processos Criativos, Mestre em Artes Visuais e Doutora em Artes Cênicas, professora dos Programas de Pós-Graduação da Escola de Teatro e da Escola de Belas Artes da UFBA; e Bárbara Falcón, Antropóloga, mestre em Estudos Étnicos, curadora da série editorial Sons da Bahia, publicou em 2012 o livro O Reggae de Cachoeira, e em 2014 lançou o livro Graffiti em Salvador, projeto desenvolvido em parceria com a fotografa baiana Carolina Garcia.

Fechado a programação desta sexta, o público conferiu o lançamento do livro “Um viaduto chamado Minhocão”, de Gil Veloso, poeta que já foi assistente de grandes autores, como Lygia Fagundes Telles, Caio Fernando Abreu e João Trevisan. Destaque como autor infanto-juvenil com os livros “Fábulas Farsas” e “Travessuras, histórias para anjos e marmanjos”.

Considerada a maior feira literária independente do Brasil e uma das mais expressivas do gênero no mundo, a Primavera da Libre, promovida pela Liga Brasileira de Editoras (Libre) ganha edição inédita em Salvador reunindo 38 editoras associadas, levando para o público diversidade de títulos e variedade de gêneros. A feira conta com o patrocínio do BNDES e Ministério da Cultura, além do apoio do Hotel Sol Victoria Marina, Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (IPAC), Fundação Pedro Calmon e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios