Maracás: Mulheres ocupam área da Ferbasa e reivindicam terra para reforma agrária

Postado em mar 8 2016 - 2:33pm por Jornal da Chapada
foto6

As trabalhadoras denunciam o “falso modelo de produção sustentável” da empresa com monocultura de eucalipto | FOTO: Divulgação |

O mês das mulheres está sendo marcado por lutas contra o agronegócio em todo estado da Bahia. Na região centro-sul do estado, cerca de 200 mulheres do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam uma fazenda de monocultura de eucalipto da mineradora Ferbasa, no município de Maracás, no último domingo (6). De acordo com informações da direção do MST, a Ferbasa é uma das 500 maiores empresas do Brasil, com produção destinada, principalmente, ao Japão e às indústrias do sul do Brasil.

Segundo as manifestantes, a empresa diz que desenvolve atividades de reflorestamento com plantios de eucalipto, distribuídos em nove municípios da Bahia: Mata de São João, Entre Rios, Araçás, Cardeal da Silva, Esplanada, Conde, Alagoinhas, Maracás, Planaltino e Aramari. Nesses locais, a Ferbasa possui 64 mil destinados à produção de carvão, o que rende mais de 12 mil toneladas ao mês.

As trabalhadoras denunciam o “falso modelo de produção sustentável” da empresa por meio da monocultura de eucalipto e apontam que a companhia comprou diversas propriedades na região. Entretanto, as terras estão sem produção. Dessa forma, as mulheres reivindicam a área para fins de reforma agrária.

Jornal da Chapada

Confira mais imagens da ocupação:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.