Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEditorialMenu Principal

Ministério Público pediu prisão preventiva de Lula no caso triplex, diz jornal

foto6
Na denúncia, Lula é acusado de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica | FOTO: Reprodução |

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) pediu a prisão preventiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na denúncia protocolada nesta quarta-feira (9). De acordo com o Estado de S. Paulo, além de Lula, o MP pediu a prisão do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, do empreiteiro da OAS Léo Pinheiro e de outros dois investigados. Na denúncia, Lula é acusado de lavagem de dinheiro e falsidade ideológica por supostamente ocultar a propriedade do triplex no condomínio Solaris, no Guarujá (SP) – oficialmente registrado em nome da OAS. O caso completo tem 102 páginas assinadas pelos promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Moraes de Araújo.

Na última quarta (9), o MP-SP ofereceu denúncia contra 16 pessoas, inclusive Lula. Em coletiva de imprensa nesta quinta (10), os promotores do caso disseram que colheram duas dezenas de depoimentos que comprovariam que o triplex “destinado” a Lula e sua família. Os promotores recusaram-se a confirmar se eles pediram a prisão do presidente na denúncia. “Só vamos falar sobre os fatos”, destacou o promotor Cássio Roberto Conserino.

“Aproximadamente duas dezenas de pessoas nos relataram que efetivamente aquele triplex do Guarujá era destinado ao ex-presidente Lula e sua família. Dentre essas pessoas figuravam funcionários do prédio, o zelador do prédio, a porteira do prédio, moradores do prédio, funcionário da OAS, ex-funcionário da OAS, o proprietário da empresa que fez a reforma naquele imóvel nos relatos que fez uma reunião para apresentar parte da reforma efetuada, com a presença da ex-primeira dama e de seu filho, além do senhor Léo Pinheiro”, disse o promotor Cássio Roberto Conserino.

De acordo com o promotor, a ocultação do patrimônio só não se perpetuou porque a imprensa divulgou a situação, segundo Conserino, irregular do apartamento. “É uma soma de testemunhos, é uma soma de documentos, e única conclusão irretocável que nos cabia fazer é de que efetivamente aquele triplex foi destinado ao ex-presidente da República, e só não houve a terceira etapa da integralização porque um órgão de imprensa noticiou essa situação e eles resolveram, por bem, largar aquele condomínio às pressas. E por essa razão a lavagem de dinheiro não se perpetuou”, disse.

Os procuradores não entanto, disseram que não tinham provas documentais sobre a ocultação do patrimônio do ex-presidente. Nesta quinta, na chamada do Jornal Nacional, da Rede Globo, o Brasil ficou sabendo que o Ministério Público realmente pediu a prisão preventiva de Lula. Consta no site do Tribunal de Justiça de São Paulo, no fórum Central de Barra Funda, o habeas corpus nº 2041022-48.2016.8.26.0000, impetrado na quarta pelo advogado de Lula, Roberto Teixeira.

O remédio jurídico beneficia também a ex-primeira dama do Brasil Marisa Letícia Lula da Silva assistida pelo advogado Nilo Batista. Esse habeas corpus estava em pauta para julgamento nesta quinta, mas, até o fechamento dessa matéria, o site não tinha sido atualizado para saber se o referido remido jurídico tenha sido julgado.

Jornal da Chapada

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios