Chapada: Festival de Jazz reúne grandes talentos no Vale do Capão durante esta sexta e sábado

Postado em set 17 2018 - 5:27pm por Jornal da Chapada

Dani e Debora Gurgel Quarteto, Conexão Berlin e Eric Assmar Trio – em um Tributo a Álvaro Assmar estão entre as atrações da 7ª edição do evento | FOTO: Montagem do JC/Divulgação |

O Vale do Capão, um dos destinos mais procurados por quem busca o equilíbrio entre corpo e mente, será novamente palco de um dos mais emblemáticos festivais de jazz do Brasil. O Festival de Jazz do Capão, que já faz parte do calendário de eventos do Nordeste, está marcado para os dias 21 e 22 de setembro. Os espetáculos, que reúnem grandes talentos da música instrumental, acontecem a partir das 20 horas na Praça da Vila do Capão, distrito de Caeté-Açú, localizado no município de Palmeiras, a 440 km de Salvador.

A programação do Festival, que está em sua 7ª edição, é gratuita. Na sexta-feira (21), A Mostra Capão abre o evento, com Stefano Cortese Trio e convidados. Na sequência, apresentam-se o músico Paulo Mutti, a dupla Filipe Moreno e Tarcísio Santos e o grupo Conexão Berlin, da Alemanha. A noite do sábado (22) começa com a Mostra EMUS/UFBA, apresentando Jessica Kaline Quarteto, seguida do Eric Assmar Trio – em um Tributo a Álvaro Assmar, do saxofonista Joander Cruz e, para fechar, Dani e Debora Gurgel Quarteto.

“A tendência atual do Festival é de buscar trabalhos de qualidade, consistentes, de artistas que já têm uma maturidade, já têm uma carreira em andamento, independentemente de serem conhecidos do grande público ou não. Então estou muito feliz porque a programação está bem rica nesse sentido e variada de estilos. Esse ano temos também a presença forte de mulheres como protagonistas. Dani e Debora Gurgel têm uma carreira internacional, mas o grande público no Brasil talvez ainda não as conheça.

Tem a Jessica Kaline, que é uma jovem guitarrista, estudante da UFBA, que vem trazendo o seu quarteto.”, afirma o músico Rowney Scott, curador e diretor artístico do Festival. O projeto conta com o apoio financeiro do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura. A realização é da Cambuí Produções e produção Gil e Canella Produções.

A “Mostra Capão”, que abre a programação artística do evento este ano, será apresentada na sexta-feira (21) por Stefano Cortese Trio e convidados. Pianista italiano que decidiu fixar moradia no Capão há dez anos, Stefano Cortese faz apresentações performáticas com enfoques variados no espaço cultural Casa do Piano, além de integrar o GIC, Grupo Instrumental do Capão.

Acompanhado por seu trio, o artista irá mostrar um trabalho autoral com influências do jazz, da música do mediterrâneo e da música brasileira, entre outras. Na sequência, sobe ao palco o guitarrista, violonista, arranjador, compositor e produtor baiano Paulo Mutti, que navega por muitos estilos com personalidade própria e naturalidade. Atualmente, radicado no Rio de Janeiro, o músico acaba de lançar seu primeiro CD, “Quietude”, que mistura influências do jazz, do rock e da música afro-baiana.

Na primeira noite do Festival, o público irá conferir ainda Filipe Moreno e Tarcísio Santos. Baixista e guitarrista, respectivamente, amigos e parceiros musicais de longa data, esses artistas são originais da região de Vitória da Conquista. Atualmente, Filipe desenvolve sua carreira no Rio de Janeiro e Tarcísio, em Salvador. No Festival, eles se reencontram para brindar o público com uma música brasileira e, ao mesmo tempo, universal.

A noite será encerrada pelo Grupo Conexão Berlin, formado por experientes músicos da cena jazzística da capital alemã. Liderada pelo percussionista Andreas Weiser, a banda tem fortes conexões com a música latina e a música instrumental brasileira. Iniciando pelo Capão sua primeira turnê no Brasil, o grupo traz ao festival uma world music com sotaque berlinense, entrelaçando ritmos fortes e harmonias delicadas.

Mais imagens das bandas

Este slideshow necessita de JavaScript.

A segunda noite do Festival inicia com uma novidade, a “Mostra EMUS/UFBA”, uma parceria do Festival com a Escola de Música da UFBA, apresentando o quarteto de Jessica Kaline. Guitarrista e compositora baiana, nascida em Jequié, Jessica Kaline integrou a banda base da Jamnomam e é estudante do Curso de Música Popular da UFBA, com ênfase em Execução (Guitarra). Na sequência, Eric Assmar Trio faz um show em “Tributo a Álvaro Assmar”.

Considerado o maior expoente da nova geração de guitarristas de Blues na Bahia, Eric desenvolveu uma personalidade artística própria, com grande expressão e técnica do gênero, sob a influência de seu pai e maior mentor, Álvaro Assmar, um dos maiores nomes do Blues no Brasil, falecido precocemente no fim do ano passado (2017).

Também no sábado (22), o público irá conferir o talento improvisador do saxofonista e flautista baiano Joander Cruz. Radicado na Alemanha há alguns anos, onde recentemente concluiu o Mestrado em Jazz Performance na Universidade de Mannheim, esse jovem natural de Itapetinga rapidamente explodiu na cena da música instrumental baiana, com performances e gravações com a Orkestra Rumpilezz e Mou Brasil Quinteto. Agora, ganha o mundo, apresentando-se com grandes nomes do Jazz alemão e gravando o seu primeiro EP.

Para fechar a 7ª edição do Festival, Dani e Debora Gurgel Quarteto faz um mergulho brasileiro no jazz contemporâneo com uma fusão de ritmos modernos e tradicionais, harmonias elaboradas e constante improvisação. O quarteto tem cinco discos gravados e uma carreira internacional consolidada no Japão e na Europa. Liderado por mulheres, mãe e filha, o grupo traz uma união forte e inseparável entre a música instrumental e cuidadosas palavras.

“O público cativo do festival, de energia sempre tranquila, certamente vai se encantar com os artistas convidados para esta edição. Muitos turistas já fizeram reservas nas pousadas locais, mas gosto de destacar que a intenção do festival é levar música de qualidade também à comunidade local, que tem a oportunidade de presenciar e assistir ao vivo artistas que, sem o projeto, talvez nunca fossem ao Capão”, frisou Rowney Scott.

Workshops
Além dos shows, nos dois dias de evento, sexta e sábado, serão realizados workshops, às 14 e às 16 horas, no Circo do Capão. Os temas são “Composição brasileira” (Debora Gurgel); “Sax e improvisação” (Joander Cruz), “A cena da música instrumental em Berlim” (Conexão Berlin) e “Baixo elétrico” (Filipe Moreno). A programação do evento, que prima pela qualidade artística, inclui a realização de uma campanha ambiental que envolve ações de coleta seletiva e também o incentivo à carona solidária. O objetivo dos organizadores com a ação é reduzir o impacto ambiental do projeto ao menor nível possível. As informações são de assessoria.

Programação Festival de Jazz do Capão 2018
Sexta-feira, dia 21/09
Shows – Praça Principal do Vale do Capão – a partir das 20h.
Atrações: Mostra Capão com Stefano Cortese Trio e convidados, Paulo Mutti, Filipe Moreno e Tarcísio Santos, e Conexão Berlin (Alemanha).

Workshops –Circo do Capão.
14h – Composição Brasileira (Debora Gurgel).
16h – Sax e Improvisação (Joander Cruz).

Sábado, dia 22/09
Shows– Praça Principal do Vale do Capão – a partir das 20h.
Atrações: Mostra EMUS/UFBA com Jessica Kaline Quarteto, Eric Assmar Trio, Joander Cruz, Dani e Debora Gurgel Quarteto.

Workshops – Circo do Capão.
14h – A cena da música instrumental em Berlim (Conexão Berlin)
16h – Baixo Elétrico (Filipe Moreno)

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.