Chapada: Hospital Regional de Jacobina deve ser reaberto em outubro; após seis anos fechado

Postado em jul 16 2019 - 4:45pm por Jornal da Chapada

A previsão é que a unidade de saúde ofereça serviços de alta-complexidade, além de atendimento oncológico e trauma ortopédico | FOTO: Reprodução |

Fechado desde janeiro de 2013, por causa de disputa política, o Hospital Regional Vicentina Goulart, em Jacobina, na Chapada Norte, foi desapropriado pela prefeitura e deve ser reaberto em outubro deste ano. A previsão é que a unidade de saúde ofereça serviços de alta complexidade, além de atendimento oncológico e trauma ortopédico. Também está prevista a instalação de uma Unidade de Tratamento Intenso (UTI) adulto. Segundo o prefeito Luciano Pinheiro (DEM), a desapropriação ocorreu há cerca de 60 dias.

A gestora da unidade era a Associação Jacobinense de Assistência (AJA). À reportagem, o gestor explicou que o Município não tem condição de manter a unidade de saúde, mas que teve garantia do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, após reuniões em Brasília. “Já tem R$ 9,5 milhões na conta da prefeitura. Também vamos receber, por meio de emenda do deputado Elmar Nascimento, mais R$ 14 milhões, que tem nos ajudado. A gente tem ainda por parte do ministro a garantia para aquisição de equipamentos. A gente acredita que, resolvida a papelada, até outubro o hospital estará funcionando”, afirma.

De acordo com o chefe do Executivo Municipal, parte do valor da desapropriação será destinado à quitação de dívidas trabalhistas. Ao site, ele afirmou que serão pagos tanto os ex-trabalhadores que acionaram a Justiça, quanto os 59 ex-funcionários que não procuraram o Judiciário.

Disputa política
No ano seguinte ao fechamento, em 2014, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) ingressou com uma ação civil pública na Justiça, com pedido liminar, para tentar restabelecer a prestação de serviços públicos de saúde, hospitalar e ambulatorial. Na época, os promotores de Justiça Pablo Almeida e Rocío Matos sustentaram que uma disputa político-partidária levou à rescisão do contrato entre o Município e a AJA, o que afetou outras 18 cidades da região. As informações são do BNews.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.