AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu Principal

Chapada: Ana Cañas fica indignada com ‘ovada’ durante show na Fligê; veja publicação da cantora

As músicas do show – que falam abertamente sobre a sexualidade feminina e a derrubada do patriarcado – incentivaram o ato contra a cantora na feira em Mucugê | FOTO: Divulgação |

Nem tudo foi amistoso na Feira Literária de Mucugê (Fligê), que aconteceu no município da Chapada Diamantina no último final de semana. No sábado (17), por exemplo, quem subiu ao palco foi a cantora Ana Cañas e, em determinado momento do show, o clima ficou tenso após ser lançado um ovo da plateia. A ‘ovada’ não acertou a cantora, mas foi criticada pela artista em rede social. Ela aponta que o ato aconteceu justamente após músicas que falam abertamente sobre a sexualidade feminina e a derrubada do patriarcado.

Com seu show intitulado de ‘Todxs’, Cañas descreve um manifesto político debruçado em pautas que dão importância às palavras democracia, liberdade e diversidade. Devido ao seu engajamento, reações agressivas como esta mostram o incômodo sobre opiniões divergentes. Em sua conta no Instagram, a cantora relembra o acontecimento e frisa que “após cantar as quatro primeiras músicas do show, que fala abertamente sobre sexualidade feminina e a derrubada do patriarcado, um ovo atravessou o palco e explodiu no chão”.

“Àqueles que semeiam ódio, desafetos, agressão, ignorância e atos de violência digo e repito: aqui nós plantamos o amor, a arte, a poesia, a equidade, o respeito e a beleza de um mundo onde todxs tem direito à felicidade. Aquelxs que não podem suportar a ideia de um mundo assim guardem seus ovos e voltem para casa e melhorem. Que uma luz atinja os seus corações”, frisa a cantora Ana Cañas em publicação.

A coordenação da Fligê pediu desculpas à artista em um comentário do post de Ana no Instagram e reforçou a importância do respeito à diversidade e à liberdade de expressão. “O show foi lindo e comungou com bandeiras que a Feira Literária de Mucugê respeita profundamente: liberdade, diversidade, respeito. O público da Fligê compreende esses valores e, pela recepção calorosa, sabemos que o ovo lançado ao palco representou um sentimento isolado”, aponta o comentário assinado pela equipe da feira.

Comentário dos organizadores

Desabafo da cantora
Na mesma publicação, Ana Cañas aproveitou para narrar alguns fatos que a deixaram indignada. Primeiro que ela aponta que já sofreu censura e até invasão de camarim sobre o atual trabalho, mas nunca tinha ‘levado uma ovada’. “Já tínhamos sofrido tentativa de censura em shows [homens invadiram a house mix ameaçando desligar o som da mesa], já reviraram meu camarim e jogaram meus pertences no chão, já ameaçaram chamar a polícia enquanto eu cantava ‘lambe-lambe’ na passagem de som. Mas um ovo, confesso que nunca”.

Segundo a cantora, “na hora, em cima do palco, respirei fundo e convidei a pessoa a se retirar do show caso não concordasse com as ideias, mas que eu não permitiria que nos agredissem porque ali era um espaço do amor. E que eu merecia respeito. Por ser mulher, por ser artista e estar fazendo o meu trabalho. Felizmente, esse show realizado na Feira Literária de Mucugê, na Chapada Diamantina, foi um dos shows mais bonitos do ano”.

Ainda conforme Ana, o público chapadeiro a emocionou diversas vezes cantando todas as músicas e manifestando carinho extremo. “Inúmeras crianças agarradas na beira do palco, sorrindo, gritando e uma delas chegou a amarrar o meu tênis enquanto eu cantava”.

Jornal da Chapada

Confira a publicação da cantora

 

Ver essa foto no Instagram

 

me jogaram um OVO da platéia no último show. após cantar as quatro primeiras músicas do show – que falam abertamente sobre a sexualidade feminina e a derrubada do patriarcado, um ovo atravessou o palco e explodiu no chão. confesso que, na hora, fui atingida pela energia agressiva de alguém que simplesmente quis me ferir, ainda mais em cima do palco, um lugar sagrado, mágico. foi como um choque de realidade da mediocridade atravessando o portal cósmico da arte e que espreita atentamente nossos movimentos libertários e plurais. alguém que, provavelmente, premeditou o ato, guardando um ovo na bolsa. OU SEJA: estamos incomodando. x anônimx escolheu um momento de fala – sobre a despadronização dos corpos e a beleza das mulheres reais, para realizar o seu “ataque”. nós já tínhamos sofrido tentativa de censura em shows (homens invadiram a house mix ameaçando desligar o som da mesa), já reviraram meu camarim e jogaram meus pertences no chão, já ameaçaram chamar a polícia enquanto eu cantava “lambe-lambe” na passagem de som. mas um ovo, confesso que nunca. na hora, em cima do palco, respirei fundo e convidei a pessoa a se retirar do show caso não concordasse com as idéias, mas que eu não permitiria que nos agredissem porque ali era um espaço do AMOR. e que eu merecia respeito. por ser mulher, por ser artista e estar fazendo o meu trabalho. felizmente, esse show realizado na feira literária de mucugê na chapada diamantina foi um dos shows mais bonitos do ano! o público baiano me emocionou diversas vezes cantando todas as músicas e manifestando carinho extremo. inúmeras crianças agarradas na beira do palco, sorrindo, gritando e uma delas chegou a amarrar o meu tênis enquanto eu cantava. então… àqueles que semeiam ódio, desafeto, agressão, ignorância e atos de violência, digo e repito: aqui nós plantamos o AMOR ❤️ a arte, a cultura, a poesia, a equidade, o respeito e a beleza de um mundo onde todxs tem direito à felicidade. aquelxs não podem suportar a idéia de um mundo assim, guardem seus ovos, voltem pra casa e melhorem. que uma LUZ atinja os seus corações. sou vegana mas faço desse ovo um omelete de amor pra geral 🍳❣️ + + + foto @thiagogamah

Uma publicação compartilhada por Ana Cañas (@ana_canas) em

Etiquetas
Mostrar mais

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Pular para a barra de ferramentas