Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesEsportesMenu Principal
Trending

Casal de ciclistas que viaja pelo mundo cria guia da Serra do Espinhaço entre Minas Gerais e Bahia

Segundo os aventureiros, desde 2007 a proposta era de criar uma rede de caminhos interessantes para viajar de bicicleta no Brasil.

Rafaela Asprino e Antônio Olinto são casados e vivem como nômade há mais de 20 anos. De suas viagens pelo país e pelo mundo, eles desenvolveram guias de cicloturismo e documentários, para mostrar as belezas naturais dos locais visitados e incentivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Durante a expedição pela Serra do Espinhaço, entre Minas Gerais e Bahia, o casal criou o ‘Guia de Cicloturismo Serra do Espinhaço’.

“Muitas questões surgem quando nos propomos a viver experiências além daquelas que conhecemos. Medos, desejos, pré-conceitos, sentimentos que brotam e que, de certa forma, revelam nossa forma de ver o mundo. Para lançar-se ao desconhecido é preciso coragem. Mas para viver essas experiências de forma plena, é preciso desprendimento, não só dos bens materiais que nos envolvem no dia a dia mas, principalmente, da nossa forma de ver o mundo. Gostamos deste axioma que, de forma crítica, relativiza ‘verdades’ sobre o mundo e também sobre nós mesmos”, relatou o casal.

Mapa dos roteiros do ‘Guia de Cicloturismo Serra do Espinhaço’ | FOTO: Divulgação |

Segundo os ciclistas, desde 2007 a proposta era de criar uma rede de caminhos interessantes para viajar de bicicleta no Brasil. “Em nosso último mapeamento para a elaboração do “Guia de Cicloturismo Serra do Espinhaço”, tivemos que aguçar nossos sentidos para compreender e viver toda a beleza de uma região que ainda preserva sua cultura e natureza, exótica para nós”, falaram.

Nos trabalhos de mapeamento na Serra do Espinhaço, eles encontraram lugares pouco visitados, tranquilos e de uma paisagem exuberante. Além do trajeto direto entre Diamantina e o Parque Nacional da Chapada Diamantina (999,11 km), o guia oferece como um bônus um circuito que faz a volta no Parque Nacional, com 203,14 km de extensão. O cicloturista poderá montar um circuito de uma semana ou viajar por um mês inteiro, perfazendo todos os caminhos do guia. Jornal da Chapada com informações do Folha de São Paulo.

Veja alguns números de guia:
• 1.232,12 km de caminhos planilhados entre 24 municípios de 2 estados, em 2 regiões do Brasil (Sudeste e Nordeste) | (228,21 km em pavimento e 1.003,91 km em terra)
• Trajeto mais curto entre Diamantina (MG) e Mucugê (BA): 999,11 km | (159,71 km em pavimento e 839,40 km em terra) ascendência acumulada: 17.444 m / descendentes acumuladas: 17.277 m (sentido Sul/Norte)
• Volta no Parque Nacional da Chapada Diamantina: 203,14 km com 3.110 m de altimetria | (74,53 km em pavimento e 128,61 km em terra)
• Trajeto mais longo, incluindo visita às cachoeiras, parques e a volta no Parque Nacional da Chapada Diamantina: cerca de 1.280 km com mais de 22.300 m de ascendência acumulada
• 1ª edição: 224 páginas, 56 mapas, 55 gráficos de perfil altimétrico e 81 planilhas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios