Pular para a barra de ferramentas
AssessoriaCidadesCuriosidadesMenu PrincipalTop
Trending

#Chapada: Secretários, empresários e até filho de vereadora recebem auxílio emergencial indevidamente em Abaíra

Todas essas pessoas foram confirmadas na lista de beneficiados; dentre as justificativas, a de que não fez a solicitação foi uma das utilizadas pelos empresários.

Uma matéria veiculada pelo jornal Correio, na última terça-feira (14), identificou ao menos 14 pessoas incluindo secretários municipais, servidores, empresários e parentes de políticos que receberam indevidamente o auxílio emergencial no município de Abaíra, na Chapada Diamantina. A pequena cidade chapadeira que, recentemente foi referência em cuidado com idoso, durante a pandemia (veja aqui), está marcada pelas fraudes do auxílio emergencial.

Ainda segundo apuração do jornal da capital, só no quadro de secretários municipais, dois receberam o benefício: Maciel Miranda e Silva (Obras e Infraestrutura) e Carlos Eduardo Jardim Moreira (Agricultura). Representante da pasta de Esporte, Jiuvan Novais de Almeida também foi beneficiado. Outros servidores foram encontrados na lista do Portal da Transparência do Governo Federal: Simone Carla Oliveira e Silva Freitas, Florindo Padro Azevedo Filho e Elito Ferreira da Silva. Esse último é pai da vereadora Vanessa Barbosa Silva Moreira (DEM), cujo filho, João Lucas Silva Moreira também foi beneficiado.

Vanessa é casada com o vice-prefeito da cidade, Hermínio Moreira (DEM), conhecido como ‘Mindim’. O irmão dele, Heriton Moreira, também recebeu o auxílio. Flavia Novaes Barros, esposa do secretário de saúde Alex Sandro Silva Miranda, também recebeu indevidamente os R$600. Todas essas informações foram conseguidas pela vereadora Ana Lúcia (PSB), que fez uma representação nos Ministérios Públicos Federal e Estadual. “Quero que algo seja feito urgentemente, pois tem gente na cidade que precisa do benefício e não recebeu”, salienta a edil. Todas essas pessoas foram confirmadas na lista de beneficiados, além de cinco empresários que receberam o auxílio.

Dentre as justificativas, a de que não fez a solicitação foi uma das utilizadas pelos empresários. O secretário de Saúde, Alex Sandro admitiu que a esposa solicitou. Ele explicou que a única renda do casal é o seu salário de R$1.250. O valor é abaixo do teto de R$3.135 mensal estabelecido pelo governo federal por família. Por isso, ela achou que se enquadraria. No entanto, a assessoria da Caixa Econômica Federal explicou que para receber o auxílio era necessário ter renda mensal por pessoa abaixo de R$522,50.

Uma representação foi encaminhada aos Ministérios Públicos Federal e Estadual | FOTO: Divulgação |

Outro que admitiu ter solicitado foi Heriton Moreira, irmão do vice-prefeito. Ele é apontado pela vereadora Ana Lucia como dono de supermercados. Heriton nega: “Já fui empresário, não sou mais”. A vereadora Vanessa Moreira também foi questionada e disse que pai Elito e o filho João Lucas não solicitaram o benefício e que os valores foram imediatamente devolvidos. As mesmas justificativas foram dadas por Carlos Eduardo, secretário municipal de Agricultura, e Maciel Miranda, secretário municipal de Obras e Infraestrutura. Esse último acredita que o benefício entrou automaticamente na sua conta por ele ser MEI. “Pretendo devolver. Contrariado, pois pago imposto todo mês [como MEI]”, disse.

Já a funcionária pública Simone Carla Oliveira afirmou que sabia que tinha recebido o benefício, mesmo sem solicitar, mas que pensava que o dinheiro era devolvido automaticamente. “Estou agora tentando acessar o aplicativo para ver como tá o saldo e fazer a devolução”, explicou. O funcionário público Jiuvan Novais de Almeida não quis se pronunciar sobre o assunto e Florindo Padro disse que havia algum engano, pois “não saquei dinheiro nenhum de auxílio”, afirmou.

Enquanto muitos que não precisavam receberam o benefício, um abairense teve que entrar na justiça para ter o auxílio emergencial e, mesmo assim, ainda não conseguiu. “Estou desempregado desde outubro de 2019. Antes da pandemia, vivia fazendo bico. Agora, diminuiu”, disse Juarez da Silva, 57 anos. A esposa dele, que é beneficiária do Bolsa Família, conseguiu receber o auxílio emergencial, hoje a única renda mensal do casal.

“Coloquei na justiça, pois tenho a esperança de ganhar esse dinheiro. Vai servir muito”, disse. Sobre seus conterrâneos que não precisavam e receberam o auxílio, Juarez resumiu a situação em uma palavra: “Injustiça”. Procurado, o prefeito de Abaíra, Edvaldo Luz Silva, o popular ‘Diga’ (PTB), disse que, assim que soube da situação, solicitou que todos fizessem a devolução. “Estamos tomando as providências e averiguando todos os casos”, disse. Segundo o Portal da Transparência, Edvaldo não recebeu o auxílio emergencial. Jornal da Chapada com informações do jornal Correio.

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios