Pular para a barra de ferramentas
CidadesCulturaCuriosidadesMenu Principal
Trending

Chapada: Municípios da região são alternativa para quem quer curtir o sossego no carnaval

O destaque da região é o Parque Nacional da Chapada Diamantina, com 152 mil hectares de área, divididos entre os municípios de Lençóis, Palmeiras, Andaraí, Mucugê, Itaetê e Ibicoara.

A Chapada Diamantina é uma das principais alternativas turísticas para quem não gosta da agitação do carnaval de Salvador, que este ano promete atrair mais de meio milhão de foliões. Grupos de amigos da capital baiana e de outras cidades do Brasil se encontram na Chapada e este ano não será diferente. Mais uma motivação para visitar a Chapada neste recesso são as chuvas dos últimos dias, que garantiram maior volume de água nas cachoeiras e rios. Portanto, para quem não quer a agitação dos seis dias de carnaval, a calmaria da Chapada é o ponto ideal para descansar. Os municípios de Lençóis, Andaraí (Igatu), Mucugê, Palmeiras (Vale do Capão), Morro do Chapéu, Rio de Contas, Piatã, Boninal, Abaíra, Ibicoara, Jacobina, Iraquara, Nova Redenção e Itaetê são alguns locais com opções para quem quer distância da folia e busca por locais paradisíacos.

Essa região do coração da Bahia é destino ecoturístico que reúne história, natureza, belas paisagens, vistas de montanhas e trilhas, rios, cachoeiras e principalmente muita paz. Patrimônio natural, a Chapada é um local de nascentes, com fauna e flora de riqueza e belezas naturais únicas. O destaque da região é o Parque Nacional da Chapada Diamantina, com 152 mil hectares de área, divididos entre os municípios de Lençóis, Palmeiras, Andaraí, Mucugê, Itaetê e Ibicoara. Para quem gosta de boas caminhadas, vale a pena percorrer as trilhas e conhecer o Vale do Pati, a Cachoeira da Fumaça, o Cachoeirão, Funis, o Morro do Castelo, ou do Pai Inácio.

Não tem apenas cachoeiras, o turista ainda pode ter acesso a muitas grutas, vales e os três pontos mais altos da Bahia: o Pico das Almas, com 1958m de altura; o do Itobira, com 1970m; e o do Barbado, com 2033m. Na Chapada nascem 90% dos rios que banham o estado, como o Paraguaçu, o Jacuípe e o de Contas. Dezenas de nascentes resultam em cachoeiras ou poços propícios ao banho no meio ou no fim de cada caminho. Quem quer saber um pouco mais de história pode também percorrer a Estrada Real, onde circulou ouro nos séculos XVIII e XIX. O casario colonial, em Lençóis, Rio de Contas, Mucugê e Igatu, todos tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), fazem parte do conjunto arquitetônico que reconta a história do lugar.

Esportes
O turista aventureiro encontra seu ponto máximo na Chapada Diamantina. Arvorismo, bungee jumping, cave jumping, canyoning, cascading, rapel, tirolesa, cavalgada, exploração e mergulho em cavernas, trekking e hikking, escalada, mountain bike, caminhada, corrida de aventura, rally classe turismo, voo livre, balonismo, ultraleve e canoagem. Essas atividades são possíveis na região, com guias e orientação para cada um desses esportes.

Culinária
Além dos cartões postais, o turista ainda pode conhecer a culinária local. No Vale do Capão, por exemplo, o que mais chama atenção nos pratos típicos são as misturas dos temperos com os ingredientes da localidade. Um exemplo disso é o pastel de palmito de jaca, uma iguaria exclusiva do Vale do Capão, que pode ser frito ou assado dependendo do gosto do cliente. Outros pratos típicos da Chapada são o godó de banana verde, um ensopado de carne do sol com banana nanica verde, que acaba tendo um gosto parecido com o da batata inglesa; e o cortado de palma, que tem um gosto parecido com um ensopadinho de vagem. Tudo uma delícia, vale a pena experimentar!

capaão
Vale do Capão fica no município de Palmeiras | FOTO: Reprodução/Silvana Sepúlveda |

Vale do Capão
Mais conhecido como Vale do Capão, a Vila de Caeté–Açu, distrito de Palmeiras, é um dos principais redutos de turismo ecológico do Brasil com visitas de aventureiros do mundo. O vale, junto com os municípios de Lençóis, Andaraí e Mucugê, faz parte do chamado ciclo de diamante da Chapada. Morros, picos de montanhas, queda d´água e riachos. No Capão, as trilhas mais percorridas são a Cachoeira da Fumaça e o Morro do Pai Inácio. Tem ainda o Morrão, os Gerais do Vieira, o Morro Branco e o Vale do Pati.

Cachoeira da Fumaça
A Chapada Diamantina continua surpreendente desde a década de 50, quando um piloto norte-americano, de sobrenome Glass, sobrevoando a região, avistou a Cachoeira da Fumaça, descobrindo para o mundo o que os poucos aventureiros e nativos há muito tempo já conheciam. De acordo com matéria do jornal A Tarde, de 2010, “o piloto se encantou ao ver que a água, caindo de tamanha altura (340 metros, constatou-se depois) nem chegava a tocar o chão, levada pelo vento, parecia esfumaçar-se no ar. De volta a Salvador, o piloto guardou o segredo por mais alguns sobrevoos, mapeou a localização da cachoeira e conseguiu, com isso, batizar a descoberta com seu nome”.

fumaça
A Cachoeira da Fumaça é um dos atrativos na região | FOTO: Site Visite a Bahia |

Como chegar
Saindo de Salvador, deve-se seguir pela BR-324 até Feira de Santana. A partir daí, é possível seguir pela BR-116 até o entroncamento com a BR-242 (Bahia-Brasília) ou utilizar-se da BA-052 até Ipirá e, de lá, seguir pela BA-488 até Itaberaba. A partir desta cidade, os dois caminhos seguem iguais sempre pela BR-242. Empresa de ônibus: Real Expresso [+ 55 71 3450-2991]. Por via aérea, há um voo regular da empresa TRIP Linhas Aéreas, que faz o percurso regular Lençóis-Salvador e Salvador-Lençóis. Jornal da Chapada com informações do Portal Verão na Bahia e do jornal A Tarde.

Lei também:
Chapada: Jacobina desponta como atrativo de ecoturismo na região; confira vídeo

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios