CidadesCuriosidadesEconomiaMenu Principal

Medidas impopulares do governo Michel Temer já assustam brasileiros

temer
O vice-presidente Michel Temer segue com planos para um possível governo após a queda de Dilma Rousseff | FOTO: Reprodução/Veja |

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, entre as medidas que serão tomadas em um eventual governo do vice-presidente Michel Temer (PMDB), destacam-se as que estão sendo indicadas pelos empresários, que acham que o governo do peemedebista terá que acabar com a obrigatoriedade dos gastos fixos com saúde e educação, além de fazer reformas da previdência e das leis trabalhistas, sem falar na recriação da CPMF [Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira].

As reformas vistas como necessárias, envolvem medidas impopulares, que precisam ser aprovadas pelo Congresso. O problema é que boa parte delas enfrenta resistência entre os próprios aliados de Temer. “A sinalização é clara. Eles elegeram os trabalhadores para pagar o pato da crise e a fatura chegará nos próximos meses. Muitos que festejaram o impeachment, logo, logo sentirão o amargo gosto de seu ódio. Ódio pode destruir muita coisa, mas jamais ajudará a construir algo de bom”, informa Pedro Marques de Santana, mestre em economia pela Ufba, ao Jornal da Chapada.

Conforme o economista, um bom exemplo está nas providências para consertar as contas públicas. O governo da presidente Dilma tentou recriar a CPMF com o objetivo de aumentar a arrecadação de impostos e não obteve apoio do Congresso. Vale informar que um dos maiores opositores da recriação da CPMF foi o presidente da Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo], o empresário Paulo Skaf, que é também, afilhado político de Temer.

Jornal da Chapada

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios