Pular para a barra de ferramentas
CidadesCuriosidadesMenu PrincipalPolícia
Trending

#Brasil: “A mais perigosa”, diz delegado em audiência sobre a deputada Flordelis, acusada da morte do marido

Deputada federal pelo Rio de Janeiro, Flordelis foi denunciada pelo assassinato do marido Anderson do Carmo.

A deputada Flordelis (PSD-RJ) participou na última sexta-feira (13) da primeira audiência do processo que investiga a morte do pastor Anderson do Carmo, marido da congressista. Além dela, são acusados do crime sete filhos e uma neta. Ao chegar ao Fórum de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, a deputada declarou que não mandou matar o marido.

“Eu não faria isso”, disse aos jornalistas presentes no local. Um dos depoimentos da última sexta-feira foi o do delegado Allan Duarte, ex-titular da Delegacia de Homicídios de Niterói. Segundo o G1, ele classificou a deputada como “a mais perigosa” de todos os réus do caso. “Esse assassinato não teria ocorrido sem ela“, falou.

“A motivação foi financeira. Com relação à forma como pastor geria a casa. Pela forma diferenciada que tratava os filhos (…) Ela [Flordelis] foi responsável por arquitetar o plano e convencer as pessoas pra que o crime fosse cometido”, afirmou Duarte. Outra testemunha ouvida foi a delegada Bárbara Lomba, responsável pela primeira fase das investigações da morte de Anderson.

De acordo com jornal O Globo, Bárbara relatou que existiam relações sexuais entre os membros da família. “Havia relações entre todos ali. Flordelis não se relacionava só com o Anderson e o Anderson não se relacionava só com ela”, falou. Bárbara disse que o pastor foi “escolhido” como marido da deputada por ser o mais preparado para a função.

“As relações eram baseadas na mentira. Estabeleceu-se uma lógica de relação familiar baseada em estratégia e fachadas que tinham que ser montadas. Muitas coisas que aconteciam na casa não poderiam aparecer“, disse a delegada. Anderson do Carmo foi assassinado quando chegava em casa, no bairro de Piratininga, em Niterói, em junho de 2019.

Flordelis é considerada pela Polícia Civil do Rio a mandante do assassinato. Ela foi denunciada pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) por 4 crimes consumados e 1 tentado. São eles: homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio duplamente qualificado, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica. Por ter imunidade parlamentar, Flordelis não foi presa. Usa tornozeleira eletrônica. O texto foi extraído na íntegra do site Poder 360.

Etiquetas

Jornal da Chapada

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios