Chapada: Para se ver as belezas da trilha no Vale do Pati é preciso preparo

Postado em jan 21 2016 - 9:57pm por Jornal da Chapada
foto5

A trilha do Cachoeirão por baixo é uma das mais procuradas no Vale do Pati | FOTO: Reprodução/Edwilson Ramos |

Decidir fazer a trilha do Vale do Pati não é tarefa fácil, justamente pelo grau de dificuldade do trajeto a ser percorrido. No entanto, a desistência dessa opção fará o mochileiro perder o contato com inúmeros locais de beleza ímpar, com fauna e flora interessantes e diversas, perderá a chance de conhecer pessoas que moram na localidade e de uma simplicidade e humildade inspiradora.

O ideal para essa trilha é que a pessoa já tenha alguma experiência com caminhadas longas, de até um dia inteiro, obviamente com suas paradas para alimentação, hidratação e pernoite na casa de nativos. Sedentários não são recomendados a fazerem o Pati, já que são cerca de sete dias “puxados” até completar todo o percurso do Pati. Existem muitas subidas e descidas íngremes, travessia de rios, terrenos pedregosos e irregulares nessa região.

Leia também:
Chapada: Poço, cachoeira e gruta movimentam turismo na região de Itaetê
Chapada: Cachoeira do Palmital e seus caminhos; conheça mais uma opção de trekking
Pontos turísticos da Chapada Diamantina ganham volume de água com chuvas; confira fotos e vídeos
Trilhas da Chapada Norte têm cachoeiras, grutas e histórias sobre a busca de ouro e diamante na região

foto5

Trilha do Gerais do Rio Preto entre o Pati e Guiné | FOTO: Jornal da Chapada |

Pelo caminho os mochileiros podem começar do Vale do Capão, de onde partirá para a cachoeira da Fumaça, seguindo para o Gerais do Rio Preto, podendo fazer passeios em locais como o Morro do Castelo, com sua formação característica e linda visão. Depois é possível seguir pelo Vale do Pati, seguindo ao lado do Vale do Cachoeirão, onde normalmente as pessoas visitam e curtem um dia no Cachoeirão por baixo.

Pela margem do rio os caminhantes terão de se equilibrar nas pedras gigantes até chegar ao fim do vale onde há três quedas d’água, sendo que a maior tem cerca de 300 metros, que podem oferecer banhos revitalizantes aos visitantes.

Pode ser feito um último pernoite no Vale do Pati para uma visita aos antigos campos de mineração de onde foi tirado diamantes antes da região ser transformada em Parque Nacional. Ao chegar a Andaraí ainda é possível fazer transfer para Nova Redenção, até o Poço Azul, local de beleza diferenciada.

Jornal da Chapada

Confira mais imagens do Vale do Pati:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leia também:
Chapada: Gentio do Ouro revela histórias e pinturas antigas entre cânions e serras
Iramaia revela belezas intocáveis da Chapada Diamantina; conheça trilhas na Raposa
Chapada Diamantina aparece no topo da lista de site internacional como melhor destino do Brasil
Confira aqui dicas para uma caminhada saudável e em harmonia com a natureza na Chapada Diamantina

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

1 Comentário Sinta-se livre para participar desta conversa.

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.