Três internos do sistema prisional baiano são aprovados na Ufba pelo Sisu

Postado em jan 21 2016 - 9:04am por Jornal da Chapada
foto5

O Sisu utiliza a nota do Enem como critério de seleção para universidades | FOTO: Reprodução/Secom |

Dos 163 apenados do sistema prisional da Bahia inscritos no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), três foram aprovados na primeira lista da Universidade Federal da Bahia (Ufba). Os destaques são internos da Penitenciária Lemos Brito (PLB), do Presídio Salvador e do Conjunto Penal de Vitória da Conquista. O Sisu utiliza a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de seleção para universidades. A maior nota em redação do sistema prisional, obtida no exame, foi de um interno de 28 anos, do Presídio Salvador. Com 920 pontos, ele foi aprovado para cursar Língua Estrangeira Moderna ou Clássica. O jovem já participa de atividades laborativas dentro da unidade.

Em segundo lugar ficou um interno de 35 anos, aprovado com 860 pontos em redação. Apesar de já possuir a certificação do 2º grau do ensino médio, ele participou como ouvinte das aulas oferecidas pela penitenciária como forma de revisar os assuntos e se preparar para a concorrência do Enem. Aprovado para dois cursos da Ufba, Letras Vernáculas e Ciências Contábeis, ele também teve a ajuda do ensino oferecido na unidade pelos ‘aulões’ do professor Jorge Portugal.

Com a terceira maior nota em redação, 780 pontos, Silvio Silva de Oliveira, 27, foi aprovado para o curso de Ciências Biológicas da Ufba. No Conjunto Penal de Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, o interno concluiu o 2º grau por meio da Comissão Permanente de Avaliação (CPA) oferecida na unidade, onde se tornou monitor de educação. Para ser aprovado no Enem, Sílvio recebeu a ajuda voluntária do professor Adão Albuquerque.

O número de aprovados ainda pode aumentar com divulgação da segunda chamada do Sisu. Neste ano, 913 detentos da Bahia se inscreveram no Enem. O direito ao estudo é garantido pela Constituição Federal, pela Lei de Execução Penal (LEP), pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394) e pelo Plano Nacional de Educação (PNE). O estudo é também válido para a remição da pena. A cada 12 horas de estudo, um dia é reduzido da pena a cumprir.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.