Salvador: Presídio Lafayete Coutinho recebe ensinamento do Zoo sobre tratador de animais

Postado em jan 27 2016 - 1:54pm por Jornal da Chapada
foto6

O veterinário do Zoo, Alberto Vinícius Dantas, demonstrou através de apresentação os tipos biomas brasileiros, cuidados com animais silvestres e o papel de um tratador de animais | FOTO: Divulgação/Inema |

Pioneiro na preservação e conservação da fauna brasileira, o Parque Zoobotânico Getúlio Vargas também se destaca pela Educação Ambiental. Na última segunda-feira (25), técnicos do Zoo realizaram palestra na unidade prisional Lafayete Coutinho, em Castelo Branco, onde os detentos puderam conhecer mais sobre o papel do tratador de animais dentro de um zoológico. A oportunidade inicia uma parceria entre o Jardim Zoológico e o Lafayete Coutinho na reintrodução de presidiários na sociedade. A partir deste primeiro de conhecimento, os detentos interessados poderão participar de um curso de tratador e futuramente trabalhar dentro do Parque.

Palestrante neste início de atividades na unidade, o veterinário do Zoo, Alberto Vinícius Dantas, que demonstrou através de apresentação os tipos biomas brasileiros, cuidados com animais silvestres e o papel de um tratador de animais, enfatizou a idealização. “Eu acredito que essa seja uma das ações mais importantes do Zoológico de Salvador quando falamos de Educação Ambiental. Você ter a oportunidade de trabalhar com pessoas e tentar fazer uma reintrodução social é fantástico. Fazer isso através da atividade do Zoo de Salvador, que é de conservação e proteção de fauna, é melhor ainda. Espero que essa seja uma dentre várias que aconteçam”, disse o veterinário.

Após a apresentação e o primeiro dia de atividades, o diretor da unidade prisional Lafayete Coutinho, José Nilton Santos, parabenizou o Zoológico de Salvador pela oportunidade dada aos detentos. “Pela primeira vez conseguimos trazer alguém que falasse sobre fauna e flora brasileira. Eles estão reclusos, mas muitos deles têm carinho pelos animais. A intenção do curso é que eles possam se dedicar e seguir carreira como tratador de animais”, afirmou.

Neste primeiro momento, além da apresentação realizada nesta segunda, outros dois dias de curso de teórico serão proporcionados aos presidiários. Durante os dias 22 e 23 de fevereiro está programado pelos técnicos do Zoo as aulas teóricas, que terão oito horas de duração no total. Já no dia 28 do mesmo mês, será realizada a parte prática, feita no Zoológico de Salvador.

A unidade prisional, de regime semiaberto, tem 474 detentos em suas instalações, e oferece aos mesmos trabalhos internos para a reintrodução social. Dentro do Lafayete Coutinho, atividade de plantio e limpeza, por exemplo, são oferecidas para que os presidiários, além de terem uma profissão, possam diminuir a sua pena. As informações são do Inema.

Sobre o Autor

| Bem vindo ao espaço virtual do JORNAL DA CHAPADA |

Deixe Uma Resposta

Você deve ser logando em para postar um comentário.